Infraestrutura

Tudo o que você precisa saber sobre o fim das concessões de pedágio no Paraná

As novas concessões serão válidas por 30 anos e só deverão ser definidas em 2022

Rodrigo
Rodrigo Sigmura / Editor-Chefe com informações da AEN
Tudo o que você precisa saber sobre o fim das concessões de pedágio no Paraná
Pedagio CCR Rodonorte (Foto: Geraldo Bubniak/ANPr)

26 de novembro de 2021 - 09:41 - Atualizado em 27 de novembro de 2021 - 09:39

As concessões de pedágio do Paraná, que foram implantadas em 1997, chegam ao fim neste fim de semana. Assim, as cancelas serão liberadas nas estradas do estado até que o novo modelo seja adotado, após a realizações dos leilões.

O Anel de Integração é formado por mais de 3 mil km de rodovias e 75% de tudo o que é consumido no estado passa por ele, segundo reportagem da RIC Record TV. Aproximadamente 6 mil pessoas ficarão desempregadas com a mudança.

preço das passagens de transporte intermunicipal de passageiros de todas as linhas que cruzam praças de pedágio será reduzido pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) com o término dos contratos.

valor reduzido começará a ser cobrado às 23h59 do dia 26 de novembro de 2021 no caso das linhas que cruzam as praças de pedágio da Econorte, Viapar e EcoCataratas, e após as 23h59 do dia 27 para as linhas que cruzam as praças de pedágio da Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia.

Atualização ás 20h35 (26/11): O Governo do Estado fechou um acordo com Caminhos do Paraná para manutenção dos serviços aos usuários mesmo após o fim do contrato das concessão, no dia 28/11. Com isso, a concessionária deixará de cobrar qualquer tarifa de pedágio aos usuários a partir de 0h do dia 28 de novembro, medida que vale para todas as concessionárias do Anel de Integração.

Mesmo assim, continuará realizando, nas rodovias que antes administrava, os serviços de guincho mecânico, de ambulâncias para atendimento pré-hospitalar, mantendo o centro de controle de operações e telefone para emergências 0800.

Isto serve para os trechos da BR-277 entre Balsa Nova e Guarapuava, da BR-476 entre Araucária e Lapa, da BR-373 entre Ponta Grossa e Prudentópolis e da PR-427 entre Porto Amazonas e Lapa. 

A medida terá validade por 365 dias, devendo atender a todo o intervalo entre concessões.

(Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Nesta sexta-feira (26), serão desativadas as seguintes praças (lotes 1, 2 e 3):

  • Jacarezinho (Econorte)
  • Jataizinho (Econorte)
  • Sertaneja (Econorte)
  • Arapongas (Viapar)
  • Mandaguari (Viapar)
  • Presidente Castelo Branco (Viapar)
  • Floresta (Viapar)
  • Campo Mourão (Viapar)
  • Corbélia (Viapar)
  • São Miguel do Iguaçu (EcoCataratas)
  • Céu Azul (EcoCataratas)
  • Cascavel (EcoCataratas)
  • Laranjeiras do Sul (EcoCataratas)
  • Candói (EcoCataratas)

No sábado (26), serão abertas as cancelas dos pedágios de (lotes 4, 5 e 6):

  • Prudentópolis/Relógio (Caminhos do Paraná)
  • Irati (Caminhos do Paraná)
  • Porto Amazonas (Caminhos do Paraná)
  • Imbituva (Caminhos do Paraná)
  • Lapa (Caminhos do Paraná)
  • Balsa Nova (Rodonorte)
  • Palmeira (Rodonorte)
  • Carambeí (Rodonorte)
  • Jaguariaíva (Rodonorte)
  • Tibagi (Rodonorte)
  • Imbaú (Rodonorte)
  • Ortigueira (Rodonorte)
  • São José dos Pinhais (Ecovia)

Por onde passar no pedágio

Para evitar a formação de filas, os veículos não vão mais passar pelas cancelas das pistas centrais dos pedágios, e sim pelas laterais — desviando da infraestrutura em si. As pistas nas quais ficam as cabines terão o tráfego bloqueado em ambos os sentidos (veja abaixo vídeo explicativo do Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná – DER).

Atendimento emergencial

Os atendimentos emergenciais a ocorrências nas rodovias do Anel de Integração será feito em uma parceria das forças de segurança pública e de saúde do Paraná e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Em casos de acidentes, o usuário das rodovias deverá ligar para:

  • Para problemas na pista, interrupções de tráfego e situações semelhantes:
    • 191 – Polícia Rodoviária Federal (PRF), em rodovias federais
    • 198 – Polícia Rodoviária Estadual (PRE), em rodovias estaduais (PR e PRC)
  • Para acidentes com vítimas: 193 – Corpo de Bombeiros, tanto em rodovias federais quanto nas estaduais

Reforço no atendimento

Os serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Integrado de Atendimento ao Trauma de Emergência (Siate) foram reforçados para auxiliar no atendimento prioritário das rodovias federais e estaduais.

Os serviços de atendimento pré-hospitalar contarão com mais 54 ambulâncias, sendo 16 destinadas ao Siate, operadas pelo Corpo de Bombeiros, e 38 do Samu.

Exceção

As rodovias do Lote 1, cobertas pela Econorte, continuarão recebendo o atendimento da concessionária. As estradas da região Centro-Sul e Região Metropolitana de Curitiba serão atendidas pela concessionária Caminhos do Paraná. A exceção é consequência de um acordo firmado entre as empresas e o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR). A medida terá validade por 365 dias, devendo atender a todo o intervalo entre concessões.

Os trechos administrados pela Econorte que continuam recebendo atendimento são: PR-323 (da divisa com São Paulo até Warta – 62 km), PR-445 (de Warta a Londrina – 14 km), BR-369 (da divisa com São Paulo até Cambé – 158,15 km), BR-153 (da divisa com São Paulo até o entroncamento com a PR-092 – 51,6 km), PR-090 (de Jataizinho até Assaí – 14,3 km), PR-862: Contorno Norte de Ibiporã – 12,65 km) e PR-090 (de Ibiporã até Sertanópolis).

Os trechos da BR-277 entre Balsa Nova e Guarapuava, da BR-476 entre Araucária e Lapa, da BR-373 entre Ponta Grossa e Prudentópolis e da PR-427 entre Porto Amazonas e Lapa são os administrados pela Caminhos do Paraná. Em nota, a concessionária destacou que o “acordo permite a preservação imediata de 164 empregos.”

Novo modelo

O edital de licitação do novo modelo de concessão de rodovias do estado deverá ser lançado no primeiro trimestre de 2022, seguindo para o leilão no segundo trimestre e assinatura do contrato pelas empresas vencedoras do certame no terceiro.

O nova tratativa é baseada na menor tarifa, sem limite de desconto e com a garantia de obras a partir de um seguro-usuário, que será proporcional ao desconto tarifário apresentado no leilão. Com ele, a nova tarifa poderá ser até 50% mais baixa que a atual. As concessões serão válidas por 30 anos e envolvem 3.368 km de estradas estaduais (35%) e federais (65%).

Entre as principais obras previstas, estão 1.783 km de duplicação de vias, sendo que 90% do total deverá ser executado até o sétimo ano da concessão. As duplicações visam ampliar os principais corredores logísticos do Estado, criando vias mais seguras para o escoamento da produção do agronegócio até o Porto de Paranaguá. A elas somam-se ainda 253 km de faixas adicionais, 104 km de terceiras faixas e 260 km de vias marginais.