Futebol

Vitorioso e polêmico, Abel completa um ano como treinador do Palmeiras

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de outubro de 2021 - 07:00 - Atualizado em 30 de outubro de 2021 - 07:15

No dia 30 de outubro de 2020, Abel Ferreira foi anunciado como treinador do Palmeiras. Com pouco renome no Brasil até então, o português chegou ao Verdão com a missão de recolocar a equipe nos trilhos. Um ano depois, o técnico reúne conquistas e polêmicas desde que assumiu o time.

Mesmo tendo levado o Alviverde ao título Paulista, Vanderlei Luxemburgo não resistiu à pressão e foi demitido após uma sequência ruim no Campeonato Brasileiro no ano passado. Depois de tentar a contratação de Miguel Ángel Ramírez, Gabriel Heinze e Sebastián Beccacece, a diretoria do clube palestrino voltou suas atenções para Abel, que estava no PAOK, da Grécia. Após pagar a multa rescisória, o Verdão acertou com o português até o final de 2022.

O impacto de Abel no Palmeiras foi imediato. O técnico aproveitou a base de trabalho do auxiliar Andrey Lopes e tornou o time competitivo em pouco tempo. Desde seus primeiros dias, o treinador nunca escondeu que sua preocupação era com o equilíbrio do time, mesmo que isso significasse abrir mão de um maior volume ofensivo.

Da mesma forma, Abel demorou menos de uma semana para mostrar seu lado explosivo à beira do campo. Inquieto e bastante ativo nas reclamações contra a arbitragem, foi expulso pela primeira vez na vitória por 2 a 0 sobre o Ceará. Na sequência, o treinador ainda viria a receber o cartão vermelho em dois outros jogos, contra Flamengo, pela Supercopa do Brasil, e Atlético-MG, pelo Brasileirão.

A inquietação de Abel não se resume à beira do campo. O treinador é um crítico ferrenho do calendário do futebol brasileiro, já tendo disparado contra os responsáveis pela organização das datas em diversas ocasiões. A falta de tempo de descanso entre os jogos e a não suspensão das partidas durante as partidas das seleções são aspectos que incomodam o português.

Em momentos pontuais, Abel também não mostrou papas na língua para falar sobre o planejamento do clube em entrevistas. Após a derrota para o Red Bull Bragantino, por exemplo, o técnico expôs sua insatisfação com os poucos reforços recebidos na temporada. No dia seguinte, o presidente Maurício Galiotte veio a público para dizer que a declaração do comandante da equipe “não somava absolutamente nada”.

Apesar dos ruídos extracampo, o desempenho esportivo do Palmeiras sob o comando de Abel é excelente. Em menos de quatro meses à frente do Verdão, o treinador já havia levado o time às conquistas da Libertadores e da Copa do Brasil. A boa arrancada garantiu respaldo ao técnico, que foi bastante questionado na primeira parte desta temporada, após a perda dos títulos da Supercopa do Brasil, da Recopa e do Campeonato Paulista. A blindagem funcionou, e o Alviverde está novamente na final da Libertadores.

Após a vitória por 2 a 1 sobre o Sport, na última segunda-feira, Abel comentou sobre o ano completo como treinador do Palmeiras. O técnico evitou fazer uma avaliação aprofundada do desempenho esportivo, mas deixou claro que vê um salto positivo até o momento.

“O balanço eu gosto de fazer só no final da temporada, mas o Palmeiras entrou no quadro daquilo que entendo que era o estágio normal de um treinador que tem ambição, ideia, sabe o que quer e onde quer chegar. Para ganhar títulos, só pode treinar clubes da dimensão do Palmeiras. Portanto, acho que foi uma escolha acertada do clube e do treinador. E agora será um dia de cada vez, é assim que gosto de viver a minha vida. No final, faremos o balanço e decidiremos o que é melhor para todas as partes”, disse o treinador.

Até agora, a comissão técnica capitaneada por Abel já comandou o Palmeiras em 97 partidas, com 51 vitórias, 22 empates, e 24 derrotas. Neste período, o aproveitamento é de 59,4%.