Futebol

Tite fala sobre a liberdade criativa dada a Neymar e diz que seguirá alterando a escalação

Gazeta
Gazeta Esportiva

18 de junho de 2021 - 00:11 - Atualizado em 18 de junho de 2021 - 00:15

Nesta quinta-feira, a Seleção Brasileira derrotou o Peru por 4 a 0, no Nilton Santos, em jogo válido pela segunda rodada da Copa América. Depois de um primeiro tempo sem brilho, Neymar colocou a bola debaixo do braço na etapa final e foi o grande destaque da equipe, comandando as ações do Brasil.

Na coletiva após o jogo, Tite comentou sobre a estrutura tática armada para que Neymar tenha liberdade para alcançar o seu melhor desempenho. Nesta quinta, o atacante chegou aos 68 gols com a camisa da Seleção.

“Eu não sei onde o Neymar pode chegar. Torço muito para que fique saudável e não se machuque. A gente tem conseguido aqui na Seleção, e acredito que no clube também, dar uma liberdade criativa para ele. Tem dado uma parcela de contribuição para a equipe, principalmente na pressão imediata, no perde e pressiona para recuperar no campo do adversário. E nós darmos uma área de ação maior para ele, para que exploda todo o seu talento, para as jogadas criativas. Como foi no gol, que ele dá um tapinha, vira o pé e deixa o Firmino na cara do gol. Como na jogada de lance individual, de proporcionar ao Richarlison um cruzamento, uma jogada simples, mas efetiva”, afirmou Tite.

“A individualidade precisa colocada, mas, antes disso, tem um conjunto que abastece o Neymar em um local importante para que possa produzir. Se ele vem muito atrás, não vai ser efetivo assim. Então, tem um conjunto harmonioso que deve ser enaltecido. Aqueles jogadores atrás que dão os passes nas melhores condições, criam essas jogadas de transição. Eles merecem. Uma equipe de ataque que precisa da defesa para construir, e, para a defesa não tomar gol, precisa do ataque, para pelo menos tirar espaço do adversário”, completou.

Tite garantiu que seguirá fazendo alterações na escalação do Brasil para a sequência de partidas da Copa América. Para o jogo contra o Peru, por exemplo, o técnico fez seis mudanças em relação ao time que enfrentou a Venezuela, na estreia da competição.

“Nós trouxemos uma situação consensual com a comissão técnica. Mudanças tentando manter a estrutura da equipe. Hoje, no primeiro tempo, ela até mudou demais. No que ela mudou demais, perdeu também um pouco de sincronia. Mas ela é de mudança, de cinco substituições durante o jogo, e de algumas situações no início do jogo, sim. Porque essa é a nossa ideia. A gente quer ter o título, fazer uma grande campanha, mas, paralelamente a isso, oportunizar aos atletas para que mostrem dentro de campo. O campo fala, a bola fala”, pontuou o treinador.

Por fim, Tite falou sobre a concorrência acirrada por algumas posições da equipe. O técnico destaca o espírito competitivo do grupo de atletas.

“Conclusões, não. Mas, indícios e sinais, sim. E uma disputa leal por posição que fomentamos. Não tem bonzinho para dizer: ‘Não, não disputa’. Disputa, sim. Entra para dentro para fazer o melhor. A diferença é ser leal, entrar para fazer uma disputa limpa”, finalizou.

Com a vitória, o Brasil foi aos seis pontos, na liderança isolada do grupo B. O time só volta a campo na quarta-feira da semana que vem, contra a Colômbia, no Nilton Santos, às 21h.