Esportes

Site de traição faz proposta milionária para dar nome à Arena da Baixada

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

27 de janeiro de 2014 - 00:00 - Atualizado em 27 de janeiro de 2014 - 00:00

Conhecido como o “maior site de traição do mundo”, a empresa virtual Ashey Madison ofereceu à direção do Clube Atlético Paranaense R$ 4 milhões pelo direito sobre o nome da Arena da Baixada.

A transação é conhecida no meio publicitário como naming rights e daria ao site o direito de batizar o estádio com seu nome durante um período de dois meses, de acordo com a proposta apresentada, sendo possível a prorrogar o acordo.

A oferta milionária foi feita ao presidente do Atlético, Mario Celso Petraglia, e ao diretor de marketing do clube, Mauro Holzmann. Mas segundo informações, ainda não houve resposta.

A proposta aproveita a atual situação financeira da Arena, que precisa de verbas para terminar as obras a tempo para a realização dos jogos da Copa do Mundo em Curitiba. “O clube precisa acelerar a obra e nós queremos aproveitar a Copa do Mundo para vender o serviço do Ashley Madison para o público masculino, que é a maior audiência do evento e é o segmento que gera nossa receita”, explicou o diretor geral do site no Brasil, Eduardo Borges.

O site viabiliza encontros entre homens casados que queiram manter relações extraconjugais com mulheres casadas ou solteiras e vice e versa.

Porém a proposta do Ashley Madison entra em conflito com uma exigência da Fifa. A partir do momento que o estádio passar para as mãos da entidade que promove o evento, todos os outdoors e painéis de patrocinadores devem ser retirados. A determinação passa a vigorar a partir do dia 22 de maio e deve ser mantida até o final da Copa, em julho. O período desejado pelo domínio são os meses de junho e julho, justamente os tempo em que a Arena estaria proibida de fazer publicidade própria.

Eduardo Borges admite que desconhece  a restrição no contrato com a Fifa e afirma que a empresa vai buscar uma alternativa. “O prazo é negociável”, garante ele.