Futebol

Nascido em Montevidéu, campeão de 1942 divide espaço com torcedores no túmulo do Palmeiras

Gazeta
Gazeta Esportiva

16 de novembro de 2021 - 04:00 - Atualizado em 16 de novembro de 2021 - 12:00

Finalistas da Copa Libertadores, Palmeiras e Flamengo duelam às 17 horas (de Brasília) do dia 27 de novembro, no Estádio Centenário. Nascido em Montevidéu, sede da decisão continental, Segundo Villadoniga conquistou o histórico Campeonato Paulista 1942 e foi enterrado no túmulo oficial do clube alviverde.

Revelado pelo Peñarol, Villadoniga veio do Vasco com o Estadual de 1942 já em andamento. Ainda assim, o atacante ganhou a posição e participou da vitória sobre o São Paulo que rendeu o título paulista na primeira partida do clube alviverde como Palmeiras.

Um dos protagonistas da Arrancada Heroica, Villadoniga era conhecido como “El Arquitecto” por sua inteligência e precisão. Com 52 gols em 138 partidas (1942-1946), campeão paulista também em 1944, ele é o uruguaio que mais venceu (85) e balançou as redes pelo Palmeiras – em número de jogos, perde apenas para Diogo (146).

Villadoniga é o primeiro agachado (e): uruguaio jogou no Peñarol e na seleção 

Após encerrar a trajetória como atleta, o uruguaio nascido em Montevidéu decidiu fixar residência em São Paulo e passou a frequentar o clube social do Palmeiras. Consagrado em campo, Villadoniga, inclusive, chegou a defender a agremiação em campeonatos de bocha.

Então com 90 anos de idade, o ex-atacante faleceu em 2006 e foi enterrado no túmulo oficial do Palmeiras, com tons verdes e identificado pelo símbolo do clube. O jazigo fica no Cemitério do Araçá, a poucos metros do Estádio do Pacaembu, palco da Arrancada Heroica de 1942 e do vice da Libertadores de 1961.

Além de Segundo Villadoniga, também foi sepultado no túmulo oficial do Palmeiras o ex-jogador José Romeiro, protagonista do título paulista de 1959. Assim com João Gaveta, antigo torcedor símbolo, Cléo Sóstenes, ex-presidente da Mancha Verde, e Onofre Mazza, ex-conselheiro vitalício.