Futebol

Hulk fala da eliminação do Atlético-MG na Libertadores: “Muito doloroso”

Gazeta
Gazeta Esportiva

12 de outubro de 2021 - 06:00 - Atualizado em 12 de outubro de 2021 - 06:30

Um dos principais nomes da boa temporada do Atlético-MG, o atacante Hulk falou sobre a eliminação do clube nas semifinais da Libertadores, contra o Palmeiras. O Galo cedeu o empate por 1 a 1 no Mineirão e, pelo critério do gol fora de casa, foi eliminado mesmo ainda invicto na competição.

“A gente sabe que era o sonho de muitos atleticanos, que depositaram toda a confiança em nosso time e nossos jogadores. Sair da forma que saiu é muito doloroso na verdade. A gente saiu invicto da competição, sem perder nenhum jogo. Foi duro, mas é o futebol. Eu vinha fazendo uma grande Libertadores, sendo muito feliz nos jogos, principalmente no segundo jogo contra o River Plate, onde todo mundo se destacou.  E no jogo contra o Palmeiras eu vinha fazendo um grande jogo lá, no primeiro jogo. Tive a oportunidade de fazer o gol de pênalti, perdi, mas ainda dei o meu melhor e fui eleito o melhor em campo. Às vezes as coisas acontecem e a gente não consegue entender a razão”, afirmou Hulk em entrevista ao Bem, Amigos!.

Mesmo com o resultado adverso, o atleta do clube mineiro elogiou a força que os jogadores receberam para seguir e se recuperar rapidamente na temporada. O Atlético-MG segue como o líder isolado no Campeonato Brasileiro, com 53 pontos conquistados e 11 de vantagem para o segundo colocado, o Flamengo.

“No jogo em casa a gente tentou, buscamos até o final. Todo mundo se doou, lutou. Você vê no final do jogo o cansaço dos jogadores, físico e psicológico. O reconhecimento dentro do plantel foi muito importante. Dos nossos líderes, o presidente, o Rodrigo Caetano, o Cuca. Valorizaram o nosso trabalho, a gente queria o resultado, mas no futebol apenas um time pode ganhar. Infelizmente a gente não conseguiu. Agora temos que nos apegar nas coisas boas e lutar. Temos agora o Brasileiro e a Copa do Brasil para ir buscar. Se a gente merecer, será nosso. Particularmente, eu fiquei muito triste, me culpei muito pela desclassificação, mas futebol é isso”, avaliou o camisa 7 do Galo.

Hulk também lembrou de como as situações no futebol mudam.

“No futebol tudo pode acontecer e há coisas que vem para nos fortalecer. O estádio em que eu estou sendo mais feliz, quando entro em campo, foi o estádio onde vivi um dos piores momentos da minha vida, quando tomei 7 a 1 jogando pelo Brasil em 2014. Hoje eu entro ali  na maior felicidade, sou muito feliz no Mineirão. O futebol te proporciona esse tipo de situação, uma hora você está por baixo e na outra está por cima. Então é aproveitar, aprender e procurar melhorar sempre que estiver bem”, concluiu.