Futebol

Felipe Melo comenta recuperação física para final e cita má vontade com o Palmeiras

Gazeta
Gazeta Esportiva

26 de novembro de 2021 - 17:08 - Atualizado em 26 de novembro de 2021 - 18:15

Confirmado para a final da Libertadores, o volante Felipe Melo foi desfalque nos últimos jogos do Palmeiras por conta de dores no joelho direito. Questionado sobre a recuperação em coletiva nesta sexta, o jogador relembrou a possibilidade de ficar fora da última decisão do torneio e garantiu que estará totalmente à disposição para ajudar a equipe.

“Engraçado, dou bastante risada, porque na temporada passada, ainda neste ano, eu quebrei o pé e ficou uma incógnita se eu iria chegar. Mas eu tinha fé de que chegaria e deu tudo certo. Cheguei na final e pude entrar em campo. E agora novamente mais este probleminha”, declarou.

“Eu gosto de encarar os problemas já procurando solução. Vejo que quanto maior a dor, a luta, maior será a bênção. Então estamos nos preparando, com certeza estarei à disposição do treinador para ajudar os companheiros. E o grande capitão ajuda com cinco, dez, 90 minutos, dentro do vestiário, antes e depois do jogo. Então eu como um dos capitães da equipe estarei sempre disponível para ajudar e com certeza fisicamente estarei à disposição, sim”, acrescentou o jogador.

Felipe Melo também declarou que existe uma “má vontade muito grande quando se fala do Palmeiras”. O volante  falou sobre as críticas à última final da Libertadores, quando o Verdão venceu o Santos com um gol nos últimos minutos, recordou que o time passou por adversários quando não era visto como favorito e reforçou que o “burburinho” de que o Flamengo vive um momento melhor não entra em campo.

“Existe uma má vontade muito grande quando se fala do Palmeiras. Quando o Palmeiras ganha um jogo, de repente uma final da Libertadores, como foi no começo desse ano contra o Santos, ouvi muitas pessoas falando que foi a pior final de Libertadores da história, que foi decidida no último minuto. E essas mesmas pessoas acho que tiveram amnésia, porque há dois anos, também na final da Libertadores, o jogo foi decidido nos últimos minutos”, declarou.

“A cada dia temos que provar que nós somos capazes e não importa quem está do outro lado. O que importa é o que a gente faz e o que vamos fazer. Quanto ao burburinho de que o Flamengo é melhor e vive uma melhor fase, isso não entra dentro de campo. Foi assim também contra o São Paulo e contra o Atlético-MG, mas quem está na final é o Palmeiras. Vai ser um jogo difícil, diante de um rival que joga, para mim, um dos melhores futebol da América do Sul. Existe muito respeito da nossa parte, mas somos os atuais campeões da Libertadores. Vamos entrar e deixar tudo em campo para defender o nosso sonho e a nossa taça”, completou o volante.

Palmeiras e Flamengo decidem a Libertadores neste sábado, às 17 horas (de Brasília), no Estádio Centenário, no Uruguai. Os dois clubes vão em busca do terceiro título do campeonato continental.