Futebol

Esporte Clube Toledo ressurge e deve disputar a Terceira Divisão já em 2023

A diretoria foi definida e será comandada pelo presidente Jair Bencke, ex-chefe da Copel em Toledo. Quem ficará responsável pela parte técnica será Agenor Piccinin, um velho conhecido da comunidade

Esporte Clube Toledo ressurge e deve disputar a Terceira Divisão já em 2023
(Foto: Carlos / Movimento e Foco)

18 de maio de 2022 - 13:20 - Atualizado em 18 de maio de 2022 - 13:20

O dia 17 de maio de 2022 ficará marcado na história da cidade de Toledo. Foi nessa data que renasceu o Esporte Clube Toledo, time de futebol profissional que brilhou na década de 80 e agora está de volta a ativa, com uma nova gestão e um plano audacioso de figurar entre os principais clubes do Estado nos próximos cinco anos.

Nos consideramos este um momento histórico, porque estamos resgatando um clube que já teve sucesso aqui em Toledo, agora retomando uma trajetória para o futuro. Hoje nós pudemos mostrar aquilo que entendemos ser o profissionalismo dentro de um contexto de futebol. Não se consegue hoje um futebol de forma amadora, de saudosismo. Isso tudo tem o seu lugar na história, no passado, mas o cenário mundial hoje exige que você tenha um futebol com profissionalismo, com gestão, com participação e envolvimento de todas as pessoas da comunidade. Nós queremos somar, para contribuir e dar valor para as pessoas.

Jair Bencke, presidente Esporte Clube Toledo

Não foi do dia para a noite que essa ideia de resgatar o Esporte Clube Toledo surgiu. Há quase 15 meses estudando e planejando, a diretoria foi definida e será comandada pelo presidente Jair Bencke, ex-chefe da Copel em Toledo. Quem ficará responsável pela parte técnica será um velho conhecido da comunidade. Agenor Piccinin, campeão da Taça Barcímio Sicupira Júnior de 2019 com o Toledo Esporte Clube e que já comandou equipes como Chapecoense, Joinville e o Futebol Clube Cascavel.

Nossa expectativa é que tenhamos em sete ou oito meses, 720 atletas vestindo as cores da entidade. Nosso pensamento é fazer o melhor para a comunidade. Nós temos um escudo para ser honrado, também temos um nome de uma cidade na qual amamos. Todas as vezes que eu fui solicitado me doei ao máximo e felizmente consegui dar alguma coisa para a comunidade.

Agenor Piccinin, coordenador técnico

Nessa nova era o ECT terá, além de futebol masculino, várias escolinhas de futebol espalhadas pela região Oeste do Paraná, com a ideia de formar novos atletas. Quatro polos na cidade de Toledo já foram definidos e os trabalhos devem começar em breve, sem falar que as meninas também ganharão vez e voz nesse novo ciclo. Uma parceria com a AFETO, Associação dos Amigos e Atletas do Futsal e Futebol Feminino de Toledo, foi criada e mais de 300 meninas deverão se juntar ao novo clube da cidade.

A preocupação momentânea é você criar material humano de talentos, com as categorias de base. Amanhã ou depois, você não pode ter um time profissional que dependa exclusivamente de comprar um jogador na hora que precisar de reposição. Você precisa saber que lá na sua categoria de base tem 10, 20 ou 30 jogadores aguardando uma oportunidade e que vão dar o seu sangue na hora que entrarem em campo. O futebol feminino, que está no escopo desse clube, já tem um trabalho forte de mais de 10 anos aqui na cidade de Toledo através da AFETO, que trabalha com quase 300 meninas de todas as categorias, até os 19 anos. Essas categorias serão utilizadas a partir de um planejamento do coordenador técnico Agenor Piccinin a partir do segundo semestre de 2022, com competições amadoras, para que essas categorias de base já comecem a criar aquele espirito competitivo.

Jair Bencke, presidente Esporte Clube Toledo

Pontapé inicial

Profissionalmente falando, o Esporte Clube Toledo deve reiniciar sua caminhada no futebol em 2023. A ideia da diretoria é começar já no próximo ano, na Terceira Divisão do Futebol Paranaense. Antes disso, será preciso resolver pendências com a Federação Paranaense como taxa de inscrição e qualquer outra divida que possa ter ficado desde 1983.

Existe hoje uma regulamentação na Federação Paranaense de Futebol, que clubes que voltam precisam pagar uma taxa. Então nós vamos entrar agora nas tratativas neste segundo semestre, para que no máximo até novembro isso já esteja definido. O valor ainda não nos foi divulgado, mas vamos tentar encontrar uma alterativa, porque vamos oferecer oportunidades sociais para as crianças, projetos para os futuros dessas crianças e isso precisa ser olhado de uma forma diferente.

Jair Bencke, presidente Esporte Clube Toledo

Para vingar de verdade, o ego deve ser deixado de lado e o clube não será gerido por apenas uma pessoa. Com acionistas, plano de marketing, patrocinadores confirmados e ex-boleiros envolvidos, o novo Esporte Clube Toledo vem conquistando a comunidade, principal foco do projeto.

Agenor Piccinin, coordenador técnico do Esporte Clube Toledo (Foto: Carlos / Movimento e Foco)

O “Eu Futebol Clube” não existe, não vinga no futebol. Nós temos ter o “Eu” como capacidade, como experiência, como ser humano, como conhecedor do assunto. Mas precisamos transforar esse “eu” em “nós”, e esse nós a gente já tem. É um grupo humilde, simples, mas que está se dedicando para fazer o melhor para o clube. Ai a gente vê que esse espirito vai contagiar toda a cidade.

Agenor Piccinin, coordenador técnico