Futebol

Cascavel recebe a Ponte Preta para o tudo ou nada da Copa do Brasil

Em jogo único, Cascavel precisa da vitória para seguir na competição

Cascavel recebe a Ponte Preta para o tudo ou nada da Copa do Brasil
(Foto: Carlos / Movimento e Foco)

22 de fevereiro de 2022 - 07:35 - Atualizado em 22 de fevereiro de 2022 - 08:15

É torcedor, o momento mais aguardado para o time que representa a nação cascavelense finalmente chegou. Depois do apito final naquele 15 de Abril de 2021, o Cascavel sabia que poderia ter feito mais. Derrota fora de casa para o favorito Avaí, que não jogou como tal. A Serpente que ficou devendo mesmo e acabou custando a eliminação na última edição do campeonato.

Agora, quis o destino que mais uma camisa gigante do futebol brasileiro ficasse no caminho do time paranaense. Depois de Figueirense e Avaí no ano passado, chegou a hora de estrear na Copa do Brasil de 2022 contra a Ponte Preta.

É bem verdade que a Macaca não vive lá seu melhor momento. O time paulista vem de derrota no clássico contra o Guarani, que custou a demissão do técnico Gilson Kleina, às vésperas da decisão na Copa do Brasil. Ele retornou ao time em 2021 para tentar salvar o clube do rebaixamento para a Série C e conseguiu. Mas nesta temporada a Ponte fez oito jogos com duas vitórias, um empate e cinco derrotas e Kleina se despediu do Moisés Lucarelli pela 5ª vez.

O momento é tão ruim que em alguns sites de apostas esportivas, o Cascavel é favorito com uma diferença pequena. Apesar da fase da Ponte Preta não ser boa, não da pra vacilar. O adversário disputa a primeira divisão do Campeonato Paulista e será o primeiro adversário do Grêmio na Série B do Brasileirão deste ano. A equipe precisa dar uma resposta para o seu torcedor e, por isso, vai aproveitar a vantagem de jogar pelo empate para assegurar a classificação.

Cascavel preparado

O time titular teve folga no empate com o Azuriz na última rodada do Campeonato Paranaense, então o técnico Tcheco terá força máxima para o duelo desta terça-feira, às 21h30, no Estádio Olímpico Regional. Um provável Cascavel deve começar com Douglas no gol, na defesa Mikael Doka, Jamerson (Lucas Oliveira), Giaretta e Willian; França, Willian Gomes, Robinho e Samuel completam o meio-campo; no ataque Léo Itaperuna e Carlos Henrique (Núbio Flávio).

Olho na Ponte

Ainda sem um técnico confirmado para a sequência da temporada, o torcedor da Ponte Preta tem ao menos uma notícia boa para comemorar e o Cascavel para se preocupar. O zagueiro Dedé, que não entra em campo desde o dia 29 de janeiro, ficou a disposição e deve sair jogando nesta terça-feira.

Outros jogadores pra ficar de olho nesse time da Macaca são os atacantes Lucca, ex-corinthians, e Ribamar, velho conhecido do futebol brasileiro. Ele já defendeu times como Botafogo, Vasco da Gama, América Mineiro e Athletico Paranaense.

A dúvida é se o camisa 29 vai pro jogo, já que Ribamar e o volante Matheus Jesus, outro ex-corinthians, reclamaram de dores musculares depois do derrota no clássico contra o Guarani. Mesmo assim eles viajaram com o time e ficaram em concentração com os demais atletas na cidade de Foz do Iguaçu.

Sem falar do meia João Pedro, que defendeu as cores do Cascavel na campanha do vice campeonato paranaense de 2021 e agora pode encarar seu ex-clube.

A Macaca deve ter Ygor Vinhas no gol; Norberto, Fábio Sanches, Dedé (Fabrício) e Jean Carlos; Léo Santos, André Luiz, Léo Naldi e Fessin pelo meio; no ataque Pedro Júnior (Ribamar) e Lucca.

Sistema de disputa

Nesta primeira fase do campeonato, o time melhor ranqueado joga fora de casa e tem a vantagem do empate. O duelo acontece no Oeste Paranaense e para avançar, o time da casa será obrigado a vencer.

Invencibilidade em casa

O Cascavel defende uma invencibilidade de 22 jogos como mandante. O time não sabe o que é perder jogando no Olímpico desde o dia 18 de setembro do ano passado, quando foi derrotado pelo Cianorte na segunda partida eliminatória da Série D do Campeonato Brasileiro.