Futebol

Casares atualiza status da negociação pela renovação de Arboleda com o São Paulo

Gazeta
Gazeta Esportiva

9 de novembro de 2021 - 14:50 - Atualizado em 9 de novembro de 2021 - 16:00

Nesta terça-feira, Júlio Casares, presidente do São Paulo, compareceu ao sorteio do Campeonato Paulista e, em seguida, falou com a imprensa. Dentre os assuntos abordados, o mandatário comentou sobre a negociação pela renovação do contrato de Arboleda.

O vínculo do zagueiro equatoriano com o Tricolor é válido até o meio de 2022. De acordo com Casares, o clube do Morumbi fará um esforço para estender o contrato do jogador, mas “dentro da realidade financeira” do São Paulo.

“O Arboleda é um grande jogador, nós queremos, já fizemos algumas reuniões. Ele está agora com a seleção equatoriana pelas Eliminatórias, esperamos retomar as reuniões assim que ele voltar. A nossa expectativa é que o Arboleda continue, dentro da realidade financeira”, disse Casares.

“Se encaixar o grande jogador que ele é com a grande valorização que vamos fazer, não tenho dúvida de que ele continuará no São Paulo”, completou.

Na sequência, Casares não escondeu que o Tricolor terá que vender atletas na próxima janela de transferências, projetando detalhes da engenharia financeira do São Paulo na próxima temporada.

“Todo o equilíbrio financeiro dos clubes no Brasil ainda depende de vendas de jogadores. Infelizmente, nesse ano que passou, a janela foi muito fraca. Nós ficamos sem bilheteria, o que também contribuiu para a dificuldade. Então, venda de jogador sempre é pauta em clubes do Brasil, não seria diferente com o São Paulo. Mas é claro que o São Paulo tem que entrar com o espírito de formar o melhor elenco possível, e passa sim por vendas e saídas, além de entradas de atletas, dentro de um orçamento com equilíbrio”, pontuou Casares.

“A situação financeira que encontramos quando assumimos requer responsabilidade, e você pode abrir mão de jogadores que ganhem 500, 600 mil e formar um elenco com jogadores de 200, 180, 150 mil. É assim que se faz um time, sem o prejuízo de atletas que estejam em um nível salarial maior e que, dentro do orçamento, seja possível o equilíbrio”, finalizou.