Futebol

Athletico oficialmente rescinde o contrato com o lateral-direito Marcinho

Afastado do elenco principal desde o final de fevereiro, lateral-direito, de 25 anos, dá adeus ao Furacão, após 57 jogos, dois gols e o título da Copa Sul-Americana

Guilherme
Guilherme Almeida
Athletico oficialmente rescinde o contrato com o lateral-direito Marcinho
Marcinho estava no Athletico desde março de 2021 (Foto: Gustavo Oliveira/Athletico)

13 de abril de 2022 - 12:41 - Atualizado em 13 de abril de 2022 - 13:04

O lateral-direito Marcinho, 25 anos, oficialmente não é mais jogador do Athletico. Afastado do elenco principal desde o final de fevereiro, após falhar em lance decisivo contra o Palmeiras, na final da Recopa Sul-Americana, o jogador teve a rescisão de contrato publicada na terça-feira (12), no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Marcinho tinha contrato com o Furacão até abril de 2023, mas chegou a um acordo para liberá-lo. Ele tinha um pré-contrato para a renovação do vínculo, até abril de 2024, mas o clube desistiu da ideia.

Sem Marcinho, o Athletico tem apenas Orejuela e Khellven para a lateral-direita. Daniel Bolt foi emprestado ao Vitória. A janela de transferências para o futebol nacional encerrou ontem (12), e o Furacão só poderá ir atrás de outros nomes em julho.

Passagem de altos e baixos

Marcinho teve uma passagem de altos e baixos pelo Athletico. Contratado em março de 2021, ele foi titular na campanha do bicampeonato da Copa Sul-Americana. Ele deixa o clube após 57 jogos, com dois gols marcados e nove assistências distribuídas.

Apesar dos números em campo serem regulares, o lateral-direito nunca caiu nas graças da torcida especialmente pelo extra campo, pois Marcinho responde criminalmente pelo atropelamento e morte de um casal de professores, em dezembro de 2020, quando ainda estava no Botafogo. Ele é acusado de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Posteriormente, em junho de 2021, já como jogador do Athletico, o jogador fez um acordo de indenização para os herdeiros das vítimas, para o pagamento de R$ 200 mil aos quatro netos das vítimas.

Recentemente, Marcinho chegou a ter o seu nome ventilado em equipes como Goiás, Grêmio, Internacional e Fortaleza, mas a má repercussão entre os torcedores freou qualquer negociação. Como a janela de transferências no futebol nacional só reabre em julho, a tendência é que o lateral-direito vá jogar no exterior.