Futebol

Abel Ferreira diz estar orgulhoso de seus jogadores e explica substituição no intervalo

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de junho de 2021 - 21:57 - Atualizado em 30 de junho de 2021 - 22:15

Nesta quarta-feira, o Palmeiras derrotou o Internacional por 2 a 1, no Beira-Rio, em jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória foi sofrida, com o Verdão marcando aos 44 minutos do segundo tempo, após passar boa parte da etapa final com um a menos. Após a partida, Abel Ferreira não escondeu o orgulho de seus jogadores.

O treinador destacou o espírito de luta do time, que viu Kuscevic ser expulso aos 18 minutos do segundo tempo. Na visão de Abel, o Alviverde soube “sofrer”.

“Eu já disse que, não importa onde for, o Palmeiras vai jogar para vencer sempre. Não vai vencer sempre, vai perder, como já perdeu várias vezes. Perdeu na Copa do Brasil, na Recopa, no Paulista, no Mundial. Mas esta equipe não se verga, tem um espírito e uma alma muito grande dentro dela. Sabe lidar com os momentos críticos, porque sabe o que quer. O que temos que fazer é encarar cada treino, cada jogo e cada ação dentro do jogo como se fossem os últimos. A cada minuto do jogo, nós tentarmos dar o nosso melhor, para que os torcedores sintam orgulho do seu time”, afirmou Abel.

“É aquilo que eu sinto hoje, um tremendo orgulho, porque entramos muito bem no jogo. Depois, o adversário reagiu, o que é normal. Tivemos contrariedades que não controlamos, mas a equipe manteve sempre o foco e a concentração. Foi preciso correr, e os meus jogadores correram. Foi preciso sofrer, e meus jogadores sofreram. E foi preciso jogar e marcar, e meus jogadores jogaram e marcaram. Portanto, parabéns para eles”, completou.

No intervalo, Abel tirou Breno Lopes e promoveu a entrada de Victor Luis. Na entrevista, o técnico explicou a substituição, destacando a importância de sua autoridade como comandante.

“O Breno saiu porque teve um problema físico. Pediu ao treinador para sair. A substituição foi uma opção estratégica e tática do treinador, por isso é que eu sou o treinador. É muito fácil: se nós ganhamos, vão dizer que foi bem alterado. Se nós tivéssemos perdido ou empatado o jogo, o treinador não percebe e não enxerga nada, o treinador deveria ter colocado o Wesley… Mas não é assim. Eu sou o treinador da equipe, eu estudo, não vejo o jogo sentado. Eu sinto e vivo o jogo, eu sinto e treino os jogadores de segunda a domingo”, finalizou o treinador.

Com a vitória, o Palmeiras foi aos 16 pontos, na terceira colocação do Brasileiro. Na próxima rodada, o time enfrenta o Sport, fora de casa, no domingo, às 16h.