Culinária e Gastronomia

Fabricar sorvete ruim pode virar crime na Itália

O projeto prevê regras para manter o padrão considerado ideal do gelatto

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações da Unilad
Fabricar sorvete ruim pode virar crime na Itália
O objetivo do projeto de lei é proteger o gelatto italiano. (Foto: Freepik)

26 de abril de 2021 - 15:56 - Atualizado em 26 de abril de 2021 - 15:56

Um projeto de lei em análise no Senado italiano prevê multa de R$ 66 mil para os fabricantes de sorvete que não respeitarem os padrões para a produção de um gelatto considerado de qualidade. O objetivo seria proteger o sorvete italiano assim como já acontece com a pizza, também considerada patrimônio gastronômico do país. 

Apresentado por seis senadores de dois partidos de centro-esquerda, o projeto pretende proteger o direito dos consumidores. Segundo o portal Unilad, os políticos afirmam que existem produtores que quebram as regras básicas do processo produtivo do sorvete artesanal. 

“O gelato italiano é um dos símbolos gastronômicos do nosso país, junto com as massas e as pizzas. Mas nossas leis não preservam o sorvete artesanal e os produtores que os fazem”, 

afirmou Riccardo Nencini, ao portal Unilad.

De acordo com as novas regras, haveria um limite de 30% na quantidade de ar no sorvete. Estima-se que, atualmente, o sorvete industrial possa conter até 80% de ar comprimido. Outra regra seria proibir o uso de saborizadores e corantes artificiais, assim como gorduras hidrogenadas. 

A indústria do gelatto tem valor estimado em R$ 6,6 bilhões na Itália.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.