Esportes

Victor Yan lembra de fome do pai para poder treinar no Santos e agradece a Holan: “Super treinador”

Gazeta
Gazeta Esportiva

31 de março de 2021 - 07:00 - Atualizado em 31 de março de 2021 - 07:15

Victor Yan está de volta ao elenco profissional do Santos após três anos. E a ascensão com o técnico Ariel Holan faz o Menino da Vila lembrar do início no Peixe.

Entre o sub-11 e o sub-13, o meio-campista morou em Taboão da Serra e treinou na Baixada Santista. O esforço para pagar o deslocamento fazia o pai não almoçar.

“Do sub-11 ao sub-13 do Santos era complicado. Eu ainda morava em Taboão da Serra e acordava às 3h com meu pai para chegar no treino a tempo. Pegávamos dois ou três ônibus até o centro de treinamento. Eu almoçava na Vila e meu pai ficava sem comer porque o dinheiro que tínhamos era só para passagens de ônibus”, disse Victor Yan, em entrevista à Gazeta Esportiva.

Yan aguentou esses perrengues, ficou na base do Peixe e se destacou ao lado de jogadores como Rodrygo, Lucas Lourenço e Sandro. Era questão de tempo até ser profissional. E a primeira chance veio em 2018.

Aos 16 anos, o volante estreou como lateral-direito em derrota por 3 a 1 para o São Bento na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista. Dois dias depois, fraturou o tornozelo.

A lesão prejudicou a evolução do atleta, que perdeu destaque e alternou entre sub-20 e time B do Alvinegro. Até agora, com 19. E com Holan.

“Foram anos complicados para mim. Estava numa crescente profissional muito grande e a lesão foi um banho de água fria. Mas graças a Deus já estou bem recuperado”, afirmou.

“A pior parte foi entre 2019 e o começo de 2020 na Copinha. Sofri algumas injustiças. O treinador da época não me colocava na posição certa e não me dava oportunidade para jogar. Depois que trocou o treinador, e comecei a trabalhar com o Rodrigo Chipp, as coisas melhoraram e voltei a ter destaque. Luciano Santos, Aarão Alves e Edinho também me ajudaram bastante”, completou Yan, sem citar Márcio Zanardi.

Victor Yan, Lucas Lourenço e Rodrygo

Relação com Ariel Holan

O técnico argentino observou mais de 60 jogadores em campo. E gostou do desempenho de Victor Yan. Ele foi inscrito no Campeonato Paulista e passou a treinar com frequência entre os profissionais.

Durante esse período de “ostracismo”, Yan recebeu uma proposta do Arouca, de Portugal, e uma sondagem do Dallas, dos Estados Unidos.

“Fiquei muito feliz por ele ter me visto e por ter me dado essa oportunidade. É um sinal de que venho fazendo um bom trabalho”. Minha relação com ele é boa. Conversamos algumas vezes, quando teve o trote ele brincou comigo e disse que meu cabelo ficou legal (risos)”, falou o meio-campista.

“Ele me dá várias dicas de como posicionar e do que fazer com a bola. Holan é um super treinador, entende bem nós jogadores. Para mim, pede sempre o domínio ajustado para a frente, posicionamento no campo e ele também gosta de passes nas costas dos laterais e zagueiros”, emendou.

Carinho da torcida

Com grande expectativa desde a base, Victor Yan sempre causou esperança entre os torcedores. E o renascimento com Ariel Holan volta a animar a torcida.

“Fico feliz pelo reconhecimento da torcida. Tenho um carinho enorme pelo clube e por tudo que já me proporcionou. Nunca pensei em desistir porque eu sempre comento aqui em casa que se eu não fosse jogador, não sei o que seria”, comentou.

“Tudo é aprendizado na nossa vida. E hoje me sinto mais maduro pra fazer história aqui no Santos”, concluiu.

Contrato

O vínculo de Victor Yan com o Santos termina em 30 de agosto de 2022. O Peixe ainda não negocia a renovação. A multa rescisória é de 50 milhões de euros (R$ 337 mi).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.