Esportes

Vasco perde em casa para Operário na primeira rodada da Série B

Gazeta
Gazeta Esportiva

29 de maio de 2021 - 13:06 - Atualizado em 29 de maio de 2021 - 17:00

O “fantasma da Série B” já virou expressão recorrente no futebol brasileiro, quando um clube está ameaçado de rebaixamento. O Vasco, neste sábado, sofreu com outro Fantasma, que é o apelido do Operário-PR. E o time paranaense assombrou São Januário com um futebol de respeito e venceu o Gigante da Colina, neste sábado, por 2 a 0, pela primeira rodada da Série B de 2021.

O Vasco leva um susto e tanto na largada da Série B. A caminhada rumo à elite é longa, mas começou com um aviso de que a estrada tem percalços. O Operário conta com nomes conhecidos do futebol carioca, como Tomas Bastos e Leandrinho, ex-Botafogo, e Rodrigo Pimpão, ex-Bota e Vasco, além de Ricardo Bueno, ex-Palmeiras.

O Fantasma apresentou um bom futebol em São Januário. O Operário jogou de forma organizada, pressionou o Vasco e sabia o que fazer na hora de atacar. O clube carioca, por sua vez, decepcionou, especialmente no primeiro tempo. Apesar de melhorar na etapa final, o Gigante da Colina larga com derrota.

O próximo compromisso do Vasco na Série B é contra a Ponte Preta, domingo, dia 6, no Moisés Lucarelli. Antes, o Gigante da Colina encara o Boavista, terça-feira, às 21h30, em Bacaxá, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Já o Operário recebe o Guarani, pela Série B, na terça-feira.

Operário apronta para cima do Vasco  

Sem Marquinhos Gabriel, lesionado, Marcelo Cabo optou por lançar Figueiredo no ataque, formando trinca com Morato e Cano. Gabriel Pec assumiu a função de meia. O Fantasma não sentiu o peso de enfrentar o Vasco em São Januário. O clube paranaense não demorou a abrir o placar. Zeca perdeu bola na lateral para Felipe Garcia, que acionou Ricardo Bueno. O centroavante passou para Leandrinho. Com um chute certeiro no canto, ele abriu o placar, aos sete minutos.

O Vasco quase se complicou ainda mais dois minutos depois. Ernando vacilou e viu Jean Carlo roubar a bola e ficar cara a cara com Vanderlei. O goleiro brilhou e evitou o segundo. O Gigante da Colina não conseguia reagir e se impor. O Operário dava trabalho. Vanderlei espalmou chute de Tomas Bastos da entrada da área.

A primeira chance de perigo do Vasco aconteceu apenas aos 40 minutos. Figueiredo emendou rasteiro, mas Simão fez defesa difícil. O Operário voltou a castigar o clube carioca. Andrey errou passe e deu presente para Jean Carlo. Ele logo lançou Ricardo Bueno. O centroavante deu uma toque por cima e fez 2 a 0, aos 42 minutos.

Gabriel Pec quase diminuiu. Ele fez fila e chutou da entrada da área, mas Simão espalmou. O Vasco viu o Operário ser superior e foi para o intervalo em apuros.

Vasco melhora, mas não evita derrota

Insatisfeito, o técnico Marcelo Cabo fez logo três mudanças no intervalo. Ele lançou Léo Jabá, Sarrafiore e Daniel Amorim (estes dois estrearam pelo clube). Saíram Galarza, Morato e Figueiredo.

O Vasco tentou partir para cima, mas quase levou o terceiro. Rafael Pernão, com liberdade, chutou de fora da área e acertou a trave. Pec respondeu e obrigou Simão a salvar o Fantasma.

O Gigante da Colina passou a pressionar o Operário, mas sofria para criar chances. Pimpão, que entrou no segundo tempo, quase fez o terceiro e acertou o travessão. Com propriedade, o Fantasma venceu em São Januário.

FICHA TÉCNICA

VASCO 0X2 OPERÁRIO-PR

Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 29/05/2021, sábado

Horário: 11h (de Brasília)

Árbitro: Thiago Luis Scarascati (SP)

Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP)

Cartão amarelo: Leandrinho (Operário)

Cartão vermelho:

Gol:

Vasco:

Operário: Leandrinho, aos 7′ do 1ºT, Ricardo Bueno, aos 42′ do 1ºT

VASCO: Vanderlei; Léo Matos, Ernando, Ricardo Graça e Zeca (Riquelme); Andrey, Matías Galarza (Sarrafiore) e Gabriel Pec (Vinícius); Morato (Léo Jabá), Figueiredo (Daniel Amorim) e Cano. Técnico: Marcelo Cabo.

OPERÁRIO: Simão; Alex Silva (Lucas Mendes), Reniê, Rodolfo Filemon e Silva (Fabiano); Rafael Chorão (Marcelo), Tomas Bastos e Leandrinho (Leandro Vilela); Jean Carlo (Rodrigo Pimpão), Felipe Garcia e Ricardo Bueno. Técnico: Matheus Costa.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.