Corinthians

Torcida pressiona, mas contratos longos dificultam reformulação no Corinthians

Gazeta
Gazeta Esportiva

20 de fevereiro de 2021 - 08:00 - Atualizado em 21 de fevereiro de 2021 - 00:00

A má fase em campo muitas vezes leva a uma impaciência do torcedor que foge da realidade. No Corinthians, não é diferente.

Diariamente e, principalmente, após frustrações em campo é possível perceber nas redes sociais uma enxurrada de pedidos por reformulação do elenco e até dispensa imediata de alguns jogadores.

Mas, na prática, não é bem assim que funciona. Obrigações firmadas em contrato impedem o clube de, simplesmente, mandar embora aquele que não estiver agradando.

É importante entender que, antes de qualquer coisa, a vontade do atleta também é primordial para que uma transferência aconteça.

Portanto, buscar clubes interessados, convencer o jogador, resolver a questão salarial, tudo isso faz parte de um processo que envolve dirigentes, comissões técnicas, atletas e empresários.

No Timão, por exemplo, depois que Jonathan Cafú foi contratado, a equipe já fez 18 jogos. O atacante participou de três deles e foi relacionado para apenas quatro partidas. Mesmo assim, seu vínculo tem prazo até dezembro de 2023.

Éderson é outro que está sem moral com Vagner Mancini. Dos 21 jogos que o técnico comandou o alvinegro no Campeonato Brasileiro, o volante foi convocado para apenas 10 e entrou em campo só sete vezes. O contrato do clube com Éderson, porém, vai até 31 de janeiro de 2025.

Mateus Davó, utilizado em quatro duelos e relacionado só oito vezes, tem vínculo com o Corinthians por mais três temporadas.

Everaldo tem contrato até junho de 2023 e Léo Natel está ligado do Corinthians até dezembro de 2024.

Ao clube cabe tentar não depreciar seu patrimônio, encontrar uma maneira de fazer o jogador reagir dentro do próprio time ou então buscar um bom negócio no mercado. Tarefas nada fáceis em meio a uma má fase individual, coletiva e com o cenário econômico em dificuldade.

A situação mais preocupante talvez envolva Luan. O Corinthians investiu aproximadamente R$ 23 milhões em 50% dos direitos econômicos do meio-campista, que tem vínculo com a equipe paulista até dezembro de 2023.

O elenco do Corinthians virou o ano com 36 jogadores e mais 19 emprestados, além de André Luis, que voltou após uma venda não consumada. Pouco a pouco, a cúpula de futebol vai firmando novos acordos, como já aconteceu com Sornoza, Rafael Bilu, Caetano e Thiaguinho.

É preciso também abrir espaço para promessas que estão se destacando nas categorias de base. Ou seja, há muito trabalho a se fazer nesse sentido, mesmo que não haja grandes contratações. Mas, uma coisa é certa, reformular o elenco não é tão simples quanto muitos torcedores imaginam que seja.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.