Esportes

Tite elogia evolução de Neymar dentro e fora do campo: “Não é mais garoto”

Gazeta
Gazeta Esportiva

12 de outubro de 2020 - 17:05 - Atualizado em 12 de outubro de 2020 - 18:00

Principal nome da Seleção Brasileira na última década, Neymar vive o seu melhor momento dos últimos anos. Depois de uma sequência desgastante de polêmicas e contusões, o camisa 10 deixou o extra-campo de lado na última temporada e conduziu o Paris Saint-Germain para sua primeira final da Liga dos Campeões, recebendo elogios da imprensa e da torcida.

A mudança do atacante não é só comportamental. Dentro de campo, Neymar passou a desenvolver um papel mais armador no PSG, saindo do lado esquerdo do campo para atuar em uma faixa mais central. A evolução de Neymar foi exaltada pelo técnico Tite.

“Neymar é homem, não é mais garoto, e já tem essa maturidade desenvolvida. Essa situação já está cada vez mais em evolução, o que me deixa muito feliz. Em termos técnicos-táticos, ele não é só flecha agora, ele é arco e flecha, ele é armador e finalizador. Ele desenvolveu também essa posição mais atrasada para municiar, como aconteceu no jogo (contra a Bolívia), de dar duas assistências, de dar a penúltima bola, de romper a marcação adversária. A gente procura potencializar os atletas individualmente dentro das suas características e suas virtudes”, disse o treinador em entrevista coletiva.

Neymar foi um dos destaques do Brasil na goleada por 5 a 0 contra a Bolívia, na sexta-feira, pela primeira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. Além das assistências para os gols de Roberto Firmino e Coutinho, o craque infernizou a defesa adversária com o seu já habitual festival de dribles.

Apesar do bom desempenho, o jogador de 28 anos era dúvida para o confronto. Antes de enfrentar a Bolívia, Neymar reclamou de algumas dores nas costas. Tite garantiu que o atacante já está recuperado e em condições de enfrentar o Peru, na terça-feira, também pelas Eliminatórias.

“Fisicamente ele está legal. Ele treinou normal hoje, treinou normal ontem também, sem nenhum problema. A respeito da parte técnica, essa liberdade maior dele flutuar para ser um jogador de articulação e deixar um jogador mais agudo para ser opção dele de lado também favorece jogadores de criatividade. Nessa adaptação, até pelo próprio PSG em que ele vinha trabalhando dessa forma, a gente tem que saber e ter a sensibilidade de poder trabalhar e lhe dar esse espaço”, relatou.

Caso balance as redes diante do Peru, Neymar vai se igualar a Ronaldo como o segundo maior artilheiro da Seleção Brasileira em jogos oficiais. Com 61 gols em 102 partidas, o atual camisa 10 só está atrás de Ronaldo, 62 gols, e Pelé, 77gols, na seleta lista. Tite enxerga a marca com bons olhos, mas ressalta que o objetivo principal do jogador é a vitória.

“Com o espírito de solidariedade da equipe, eu tenho certeza que se aparecer um (jogador) em melhores condições, o Neymar vai dar (o passe). Assim como o outro, em situação solidária, também vai deixar o Neymar na cara do gol. Os objetivos individuais, quando eles agregam para a equipe, são bons. Não é pecado fazer gol, não é pecado chegar na marca do Ronaldo. Dentro de um espírito solidário da equipe, é legal”, finalizou.