Esportes

Tite despista sobre escalação do Brasil, mas confirma: “A base permanece”

Gazeta
Gazeta Esportiva

12 de outubro de 2020 - 15:21 - Atualizado em 12 de outubro de 2020 - 15:30

A escalação da Seleção Brasileira para o duelo contra o Peru, na terça-feira, pela 2ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, permanece um mistério. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o técnico Tite despistou sobre a equipe titular que entrará em campo no Estádio Nacional de Lima, mas confirmou que a base que enfrentou a Bolívia, na última sexta-feira, vai permanecer.

“Nós temos uma série de atletas de alto nível. Eu tenho uma equipe já montada, mas eu não quero falar ela. Os atletas sabem desde ontem, a base dela permanece, a estrutura permanece e as ideias permanecem. Mas eu não quero municiar também o Gareca (técnico da seleção peruana), é um momento importante. Você troca a característica do atleta e isso já causa alguma adversidade”, destacou.

O adversário de terça-feira trás sentimentos distintos ao torcedor brasileiro. Apesar te ter sido o rival da Seleção na final da Copa América de 2019, conquistada pelo Brasil, o Peru saiu vitorioso no último embate, um amistoso em setembro do ano passado. Tite afirmou que os jogos anteriores servem de referência, mas adicionou que não interferem no presente.

“O Peru é o mesmo que nos venceu no amistoso. É uma situação passada (a vitória na final da Copa América), de referência, de adversário importante, de qualidade e um grau de dificuldade técnica e física superior ao que nós enfrentamos. Isso não desmerece o nível de atuação da equipe, mas relativiza, contextualiza e nós temos que ter essa capacidade”

Contra o Peru, Tite vai completar 50 jogos à frente da Seleção Brasileira. O treinador estreou em setembro de 2016, em uma vitória fora de casa contra o Equador. Quatro anos depois, o comandante falou sobre os impactos da experiência.

“A Seleção me mostrou uma adaptação de técnico de clube ao técnico de seleção. O benefício de escolher os atletas de alto nível, os melhores do seu país, de ter uma comissão técnica do mais alto nível, com a qualidade de tempo integral durante a semana para essas avaliações, comunicações, esse acompanhamento e evolução, de administrar o tempo, porque você a pressão de não estar constantemente com os atletas te retira um pouco do trabalho de campo e você fica de um trabalho mais de estudos. No momento em que você busca o trabalho no dia a dia, tem que ser muito pontual e preciso no treinamento e nas funções dos atletas”, revelou.

Mesmo assim, Tite disse que não está focado na importante marca, mas sim em um bom desempenho da Seleção Brasileira na 2ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas.

“Eu não estou pensando muito nos 50 jogos, estou pensando em repetir um desempenho, uma ideia de futebol e que a equipe jogue muito. Que ela tenha a consciência que ela tem que criar e fazer gol, que ela tenha que ser dura e que dificulte o adversário ao máximo não conclusões, se possível não tomar gol e que traduza isso em vitória. Esses três ingredientes reunidos te trazem isso”, concluiu.