Times

Corte Arbitral do Esporte determina o fim da suspensão ao Athletico, que está liberado para contratar

Furacão conquista importante vitória no “Caso Rony”, e agora está liberado para registrar jogadores

Guilherme
Guilherme Almeida
Corte Arbitral do Esporte determina o fim da suspensão ao Athletico, que está liberado para contratar
Enfim resolvido o imbróglio envolvendo o atacante (Foto:Miguel Locatelli/Athletico)

25 de março de 2021 - 15:16 - Atualizado em 25 de março de 2021 - 15:16

O Athletico está liberado para contratar! A Corte Arbitral do Esporte (CAS) definiu, na tarde desta quinta-feira (25), a suspensão do banimento do clube, referente ao “Caso Rony”.

A entidade máxima do esporte reduziu a pena imposta ao Athletico em julho de 2020, que impedia o clube de registrar atletas. Sendo assim, o Furacão, que já analisava o mercado enquanto esperava a definição do julgamento, poderá reforçar o elenco, visando as disputas da temporada.

Como parte do acordo, o Athletio irá pagar ao Albirex Niigata uma multa de US$ 1,250 milhão (aproximadamente R$ 7 milhões) pela quebra de contrato de Rony com o clube japonês. O prazo para o pagamento ser efetuado é de 30 dias.

Logo após o CAS divulgar o resultado, o Athletico publicou uma nota, em seu site oficial, a respeito do caso.

“O Club Athletico Paranaense vem informar a todos os seus torcedores que acaba de receber a decisão da Court of Arbitration for Sport (CAS) atribuindo parcial provimento ao recurso de apelação do CAP e determinando a definitiva e imediata retirada da suspensão disciplinar (“transfer ban”) aplicada pela FIFA no caso que envolvia a contratação do Atleta Ronielson da Silva Barbosa (“Rony”).

Com esta decisão final da Suprema Corte Internacional do Desporto, o CAP fica liberado para efetivar registros e inscrever novos atletas no âmbito nacional e também internacional”.

O Athletico começou a cumprir a suspensão em outubro de 2020. De lá para cá, o Furacão podia apenas renovar contratos já vigentes, ou registrar retornos de empréstimos, como foi o caso do lateral-esquerdo Nicolas. Agora, no entanto, o clube poderá contratar e registrar atletas no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

Reforços no radar

Enquanto aguardava a definição do julgamento, o Athletico tinha feito movimentos tímidos no mercado. Nomes como o meia Lucas Lourenço, do Santos; e atacante Matheus Babi, do Botafogo, eram monitorados.

Outro nome que interessava ao Athletico era o do meia Ademir, do América-MG, conforme informação divulgada pela Rádio Itatiaia na quinta-feira (18). O atleta, contudo, recebeu uma proposta do Palmeiras e está perto de se transferir ao clube gaúcho.

Caso Rony

Em 2018, antes de chegar ao Athletico, o jogador chegou a ir para o Rio de Janeiro, onde treinou e vestiu a camisa do Botafogo. O Albirex Nigata, no entanto, vetou a negociação, alegando que o jogador ignorou um contrato de três anos com o clube japonês.

Foi então, que apareceu o Athletico. O Rubro-Negro solicitou ao Albirex, a liberação do ITC, – sigla de Certificado de Transferência Internacional – mas o clube se recusou a conceder a permissão. Os advogados do Furacão levaram o caso a FIFA, e depois de dois meses, o jogador pode ser registrado pelo clube paranaense, em agosto de 2018.

No período de agosto de 2018 a fevereiro de 2020, o atacante virou ídolo da torcida, sendo peça fundamental no elenco. Foram 73 partidas disputadas, com 13 gols marcados e três títulos conquistados (Sul-Americana, J.League/Conmebol e Copa do Brasil).

O atleta disputou sua última partida pelo clube na final da Super Copa do Brasil, competição pela qual o Athletico foi derrotado pelo Flamengo, por 3 x 0. Após uma longa novela, o Furacão vendeu o atacante para o Palmeiras, pelo total de 6 milhões de euros (R$ 28 milhões).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.