Esportes

Thiago Paulino leva ouro no Parapan e bate recorde mundial pela 3º vez no ano

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Thiago Paulino leva ouro no Parapan e bate recorde mundial pela 3º vez no ano
Thiago Paulino leva ouro no Parapan e bate recorde mundial pela 3º vez no ano

25 de agosto de 2019 - 00:00 - Atualizado em 25 de agosto de 2019 - 00:00

O brasileiro Thiago Paulino conquistou a medalha de ouro no arremesso de peso neste sábado nos Jogos Parapan-Americanos de Lima e quebrou o recorde mundial da modalidade pela terceira vez no ano. Ele atingiu a marca de 15,26 metros e deixou em segundo lugar o compatriota Claudiney Batista (11,55m). O bronze foi para o argentino Pablo Damian (12,38m).

“É uma satisfação enorme. Segunda medalha de ouro no Parapan no arremesso de peso. A gente vem se preparando este ano de uma maneira diferente porque não tem lançamento do disco, que era minha especialidade anterior. É o meu terceiro recorde mundial no ano, medalha de ouro, não podia estar mais feliz”, disse em entrevista ao Estado.

Nos esportes paralímpicos, as colocações são estabelecidas com uma combinação entre a distância alcançada e a deficiência física. Paulino é da classe F57, Claudiney tem uma deficiência maior (F56) e por isso ficou em segundo lugar em relação ao argentino, que é F57. Essas classes são para diferentes níveis de amputação e todos competem sem a prótese, em cadeira de rodas.

Paulino perdeu parte da perna esquerda em um acidente de moto em 2010 na cidade de Orlândia, onde vivia e trabalhava como vigilante. “Saindo do hospital, como parte da recuperação, fiz meu primeiro arremesso, me apaixonei pelo esporte e não parei mais. Comecei a conhecer o pessoal do paralímpico, a Terezinha Guilhermino, Lucas Prado, pessoas que hoje tenho honra de dividir a seleção”, comentou.

As conquistas começaram a vir logo depois dos Jogos Paralímpicos do Rio-2016, quando recebeu o convite para morar em São Paulo e treinar com a seleção brasileira no Centro de Treinamento Paralímpico. Desde então foi ouro no Mundial de Londres-2017 no arremesso de peso e lançamento de disco, e também faturou o ouro no arremesso de peso e bronze no lançamento de disco no Parapan de Toronto-2015. “Agora é pensar no Mundial de novembro, tentar o bi lá também e chegar em Tóquio-2020 com força máxima”, finalizou.

RECORDE PARAPAN-AMERICANO

A brasileira Izabela Campos bateu o recorde parapan-americano também neste sábado no lançamento de disco. Ela alcançou a marca de 35,32m, a prata ficou com a colombiana Maria Yesenia (35,12m) e o bronze com a argentina Belen Florencia (28,54m).

A outra brasileira que estava na prova, Marcia Cristina Almeida ficou em quinto com 22,30m. Todas as competidoras eram da classe F11 (cegos). “Estou muito feliz por ter sido a primeira brasileira a conquistar medalha de ouro do atletismo brasileiro neste Parapan. Imaginar eu, Izabela, conseguir este feito é um sonho”, disse.