Esportes

Técnico minimiza tropeços recentes do São Paulo: “Em 15 dias achamos que está tudo errado”

Gazeta
Gazeta Esportiva

10 de janeiro de 2021 - 19:02 - Atualizado em 10 de janeiro de 2021 - 20:15

O técnico Fernando Diniz procurou minimizar os tropeços recentes da equipe do São Paulo após a derrota no San-São. Desde a eliminação na semifinal da Copa do Brasil, para o Grêmio, em pleno Morumbi, o Tricolor não venceu mais e vê a vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro diminuir a cada rodada. Mas, apesar do momento de pressão, o comandante são-paulino se esforça para blindar o elenco.

“Em questão de 15 dias achamos que mudou tudo, começamos a questionar e achamos que está tudo errado. Não fizemos uma boa partida contra o Grêmio, tivemos o domínio do jogo, mas não conseguimos criar chances naquele jogo, o Grêmio teve seus méritos na marcação. O Bragantino, um time com uma proposta antagônica à do Grêmio, marcando mais adiantado, também teve sucesso. A gente cometeu erros que não costumamos cometer lá em Bragança e hoje no segundo tempo já começamos a jogar dentro das nossas características. Tomamos o gol, tivemos as chances de reverter e não revertemos”, afirmou Fernando Diniz.

Pesa contra o São Paulo o fato de a derrota ter acontecido para o time reserva do Santos, que poupou todos os seus titulares já pensando no jogo de volta da semifinal da Libertadores, contra o Boca Juniors, na Vila Belmiro. E isso tudo na rodada seguinte à goleada para o Red Bull Bragantino por 4 a 2.

“É muito circunstancial, não podemos fazer julgamentos por causa de dois jogos. A partida de quarta-feira não tem nada a ver com a de hoje. Talvez tivemos a pior atuação sob meu comando na partida de quarta-feira. Hoje foi diferente, jogo difícil, Santos veio sem pressão nenhuma, esperando por uma bola, foi o que aconteceu. Jogando atrás, favorece muito quem está se defendendo. Somado a isso, tivemos um primeiro tempo mais moroso do que deveria. No segundo tempo identificamos o problema, melhoramos a intensidade do jogo, mas tomamos o gol no primeiro minuto do segundo tempo. O time foi mais agressivo, criou oportunidades, mas não conseguiu reverter. Temos que melhorar e voltar a vencer”, prosseguiu Diniz.

Com a derrota, o São Paulo estagnou nos 56 pontos e vê a diferença na liderança diminuir. Embora o Flamengo, outrora principal candidato pelo título brasileiro, também tenha tropeçado de novo, Internacional e Atlético-MG ressurgem como postulantes à taça. Pressão enorme para uma equipe jovem e que acabar com a seca de oito anos do clube sem uma conquista.

“Essa parte emocional trabalho desde quando comecei a ser treinador. O combustível principal de um time de futebol é a parte emocional, a parte anímica tem que estar sempre equilibrada. Não tem milagre para ser feito, é trabalhar em todas as vertentes, trabalhar técnica, tática, ver o que erramos no jogo, e trabalhar junto, somos um time que sempre soube trabalhar junto. Temos que perseverar, trabalhar muito para poder voltar a vencer”, concluiu.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.