Bastidores

Souza culpa Celso Roth pela perda do Brasileirão de 2008

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Souza culpa Celso Roth pela perda do Brasileirão de 2008

30 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 30 de abril de 2020 - 00:00

Em 2008, o São Paulo conquistou o Campeonato Brasileiro pela terceira vez consecutiva, com uma virada histórica. No início do segundo turno, Tricolor Paulista estava 11 pontos atrás do Grêmio, até então líder, e conseguiu superar os rivais gaúchos. Camisa 10 do Imortal naquele ano, Souza deu declarações polêmicas à rádio Atlântida, atribuindo grande parcela de culpa ao treinador Celso Roth.

“É um cara muito teimoso. No segundo semestre daquele ano, todas as equipes que estavam atrás da gente deram folga aos atletas. E alguns jogadores foram falar com o Celso que estavam cansados, para dar um descanso. No outro dia, teve um treino físico tremendo. Então, a equipe fazia um primeiro tempo primoroso e caía de produção no segundo. Ele pensou que a gente queria se intrometer no trabalho dele. Então, eu coloco o peso de não ter chegado na teimosia do Celso e muito treinamento quando era hora de dar descanso aos jogadores”, declarou.

Em 2010, Celso Roth venceu a Libertadores pelo rival, Inter (Foto: Divulgação/SCI)

Souza fez história no São Paulo, mas sua melhor fase na carreira, segundo o próprio atleta, foi no Tricolor Gaúcho. Aos 41 anos, o meia segue jogando. Atualmente, atua pelo Murici, de Alagoas. O jogador diz que faltou um grande título pelo Grêmio para marcar sua passagem pelo clube, e lamenta a perda do Brasileiro de 2008 e da Libertadores de 2009, quando o Tricolor foi eliminado pelo Cruzeiro nas semifinais.

“Claro que fiquei marcado no São Paulo. Você fica marcado pelos títulos. Mas se me perguntarem, individualmente, qual foi o meu melhor ano da carreira, digo que foi 2009, no Grêmio. Fiz quase 30 gols, sem bater pênalti. Se tivesse alguns jogadores que ajudassem mais, a gente tinha ganhado (a Libertadores de 2009), porque a confiança é absurda. O Maxi López chamou um jogador de macaco, e teve outra confusão interna da gente. Um jogador que não jogou, e ficou chateado, falou umas besteiras dentro do ônibus e o Autuori ouviu. O time era muito bom, mas a gente errou muito gol naquele jogo. Eu queria matar”, concluiu, lembrando ainda a polêmica envolvendo o atacante argentino com o cruzeirense Elicarlos.