Skate

Dez paranaenses se tornam profissionais do skate

Eles foram aprovados no processo de profissionalização da CBSk em diversas modalidades

Jéssica
Jéssica Dombrowski Netto Dropando
Dez paranaenses se tornam profissionais do skate
Marina Veiga é a única paranaense na modalidade street da lista. Foto: Arthur Gomes

5 de fevereiro de 2021 - 17:46 - Atualizado em 7 de fevereiro de 2021 - 19:31

A Confederação Brasileira de Skate (CBSk), anunciou os aprovados no processo de Profissionalização para 2021. Dez skatistas paranaenses estão na lista nas modalidades Bowl/Park, Downhill Speed, Street Sled e Street. Ao todo foram 23 skatistas que foram aprovados, sendo eles representantes do Paraná, São Paulo, Distrito Federal, Santa Catarina, Ceará, Mato Grosso, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. 

Após o envio da solicitação pelos skatistas amadores, no final de 2020, o Comitê de cada modalidade avaliou, juntamente com a Diretoria de Esportes e Arbitragem da CBSk, quais candidatos cumpriram os requisitos para serem reconhecidos como skatistas profissionais.Os Comitês são formados por skatistas profissionais eleitos pelos próprios pares para mandatos de 2 anos.

Relação Completa

Bowl / Park

Miguel Oliveira (PR)
Isadora Pacheco (SC)

Downhill Speed

Anna Ohata (PR)
Bianca Fior (PR)
Júlio César Mulaski (PR)
Norberto Bertoncello (PR)
Valéria Ribeiro (PR)
Leon Sastre (DF)
Luana Chaves (PE)
Rafael Dobner (SC)

Street Sled

Carlos Spengler (PR)
Leonardo Miranda (PR)
Villi Nickel (PR)

Slalom

Fernando Camargo (SP)

Street

Marina Veiga (PR)
André William (DF)
Djorge Oliveira (RS)
Felipe Felix (SP)
Giovanni Vianna (SP)
Izael Miranda (MT)
Kaue Cossa (SP)
Lucas Diniz (RJ)
Lucas Rabelo (CE)

Critérios

Ficou a cargo do skatista amador definir por qual via gostaria de ser avaliado (a): Critérios Objetivos (resultados em competições) ou Critérios Subjetivos (carreira construída até o momento pelo skatista).

“Receber esse reconhecimento, mesmo que tardio, pois a luta do skate feminino paranaense vem de décadas, é um marco. Me sinto honrada em me tornar a primeira skatista profissional de street do Estado, foram quase 15 anos, literalmente metade da minha vida dedicada como skatista, atleta e fomentadora. Vou continuar lutando pela conquista de espaços das mulheres e meninas para que esse título e outros ainda maiores alcancem mais de nós, vou levar mais nossa voz e manobras por onde for e passar essência para as novas gerações. Acredito que esse é apenas o começo de várias vitórias que estão por vir!”

Afirmou a paranaense Marina Veiga.

O patamar os credencia à disputa das principais competições nacionais, como o Circuito Brasileiro Profissional, e também reconhece suas trajetórias e contribuições na evolução do Skate brasileiro.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.