Sebastião Neto
Poliesportiva Campos Gerais

Por Sebastião Neto

Esportes
Sebastião Neto

Nosso Fantasma pode mais!

Fantasma até saiu na frente, mas não conseguiu criar grandes chances para ampliar o placar e foi ‘castigado’ com empate no último ataque dos visitantes

Nosso Fantasma pode mais!
Rafael Oller marcou o gol do Fantasma no empate deste domingo Foto: André Jonsson/OFEC

28 de fevereiro de 2021 - 19:13 - Atualizado em 28 de fevereiro de 2021 - 19:16

Não foi da maneira que o torcedor esperava a estreia do Operário Ferroviário no Campeonato Paranaense 2021. O empate em 1 a 1 com o Azuriz Pato Branco, na tarde deste domingo (28), premiou a luta e insistência do ‘caçula’ da elite estadual, que conseguiu o gol da igualdade em seu último lance de ataque no Estádio Germano Krüger – quase aos 50 minutos da etapa final. Já ao Fantasma, fica a frustração de um time que ficou muito perto da vitória, mas pouco produziu ofensivamente após o gol de Rafael Oller.

Seria ilusão achar que o alvinegro teria uma desempenho igual ao da reta final da Série B do Campeonato Brasileiro, quando empilhou vitórias e ficou perto de brigar pelo acesso à Série A. Mesmo que poucas, mudanças foram feitas no time-base do técnico Matheus Costa (por conta de lesões e saídas de atletas) e o time vem de um intenso trabalho físico na pré-temporada realizada em Sorocaba; trabalho esse, inclusive, fundamental para a equipe suportar mais uma insana temporada que vem pela frente.

Em que pese tudo isso, acredito que o Operário poderia ter mostrado mais ao torcedor que viu e ouviu, de casa, a estreia do time neste Estadual. O repertório variado nas jogadas ofensivas, visto em muitos jogos da ‘Era Matheus Costa’, não esteve presente; as principais chances alvinegras vieram de jogadas de linha de fundo, principalmente cruzamentos, com a mais clara delas sendo uma cabeçada de Ricardo Bueno que balançou a trave do goleiro Dida.

No início da etapa final, na primeira chance em que o meia Tomas Bastos teve liberdade no setor ofensivo, deu belo passe para o gol de Oller, que conseguiu se infiltrar nas coisas da defesa pato-branquense. E aí vem o momento em que podemos dizer que o Fantasma poderia apresentar mais: é óbvio que seria importante administrar o resultado, até por ser estreia de campeonato, mas o Operário poderia, pela qualidade técnica de seu elenco, buscar mais o segundo o gol e evitar o ‘sufoco’ que tomou nos minutos finais em Vila Oficinas.

E o quando se tem o adversário em seu campo a maior parte do tempo, mesmo que com alguns ataques do Operário na reta final de jogo, um deslize é quase que fatal: a falha na saída do goleiro André Luiz, após cobrança de escanteio pela esquerda, deu a chance que o Azuriz precisava para balanças as redes alvinegras e comemorar muito o ponto conquistado em Ponta Grossa.

“Procuramos mexer na nossa parte de frente para buscar o segundo gol, colocando jogadores novos contra a defesa do Azuriz que estava jogando o jogo todo. Criamos alternativas para que o isso acontecesse, mas infelizmente o futebol não é sempre da maneira que a gente planeja”, avaliou o comandante Matheus Costa, após participação deste colunista na entrevista coletiva após a partida.

Operário teve dificuldades para sair da boa marcação do Azuriz Pato Branco
Foto: André Jonsson/OFEC

Independente de quando será a próxima partida do Fantasma no Estadual, já que pelo atual cenário do Paraná e da cidade de Curitiba o alvinegro não deve ter o seu jogo contra o Athletico confirmado para quinta-feira (04), elenco e comissão técnica têm todos os requisitos necessários corrigir os erros da estreia e mostrar mais ao torcedor, mesmo com as limitações de um início de temporada. Saudações alvinegras e até a próxima!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.