Esportes

Scarpa afirma se sentir “mais leve” e valoriza maturidade para engrenar no Palmeiras

Gazeta
Gazeta Esportiva

6 de julho de 2021 - 08:00 - Atualizado em 6 de julho de 2021 - 08:15

O meia Gustavo Scarpa tem sido um dos destaques do Palmeiras neste ano. O jogador já participou de quase metade dos gols da equipe na temporada e foi o responsável pelo tento da vitória sobre o Sport no último domingo.

Questionado sobre a boa fase em entrevista à ESPN, Scarpa declarou que tem se sentido “mais leve” para jogar pelo time e que pode estar vivenciando o melhor momento de sua carreira profissional.

“Não sei dizer se é o meu melhor momento, porque já tive uma sequência de bons jogos no Fluminense, mas a gente não vencia tanto quanto aqui no Palmeiras, então as boas atuações passavam meio despercebidas. Mas eu estava até comentando com o (Willian) Bigode nesta última semana, que talvez esse seja o meu melhor momento porque estou me sentindo mais leve para jogar”, disse.

“Estou me sentindo à vontade, e muito desse sentimento se deve ao fato de eu estar jogando na minha posição de origem. Mas estou aqui sempre para ajudar, sou profissional, preciso me adaptar o quanto antes, mas acho que o momento talvez seja o mais legal. Mas o que eu fiz ontem já não vale nada. É preciso ter a cabeça no lugar, seguir com os pés no chão e continuar trabalhando”, acrescentou o jogador.

Scarpa também atribuiu o bom momento à maturidade adquirida ao longo dos anos. O jogador afirmou que percebeu que não fazia parte da equipe titular e precisava aproveitar o Campeonato Paulista para brigar por uma vaga nos 11 iniciais. Com isso, agarrou as oportunidades no Estadual, se destacou e engatou uma sequência entre os titulares do Palmeiras.

“Acredito que sim (influência da maturidade). Eu sou um cara que fico pensando muito nas coisas. Então às vezes jogava mal e me cobrava para jogar melhor, ajudar todo mundo, e às vezes não dava certo, ia para outra posição e tinha que me adaptar. O que tem me ajudado é o fato de eu ter entendido, nessa reta final do Paulista, que eu não estava na equipe considerada titular e não adiantava ficar chateado”, explicou.

“Eu tinha o Paulista para mostrar que precisava dar o meu melhor, já que quero ser considerado titular. Quando eu entendi isso, que o Paulista era o que eu tinha, consegui pegar uma sequência na Copa do Brasil e neste início de Brasileiro. Então estou bem feliz”, finalizou o meia.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.