Esportes

Santos prevê “bomba” por dívida sobre Cueva para a próxima gestão

Gazeta
Gazeta Esportiva

20 de novembro de 2020 - 20:00 - Atualizado em 20 de novembro de 2020 - 23:45

O Santos prevê que a “bomba” Christian Cueva vai explodir em 2021, no primeiro ano do próximo presidente do Peixe. A eleição está marcada para 12 de dezembro.

O departamento jurídico ganhou tempo no processo sobre o meia, mas a decisão desfavorável, de acordo com o presidente em exercício Orlando Rollo, deve sair no ano que vem.

“Temos processo na Fifa, sim, mas o processo está suspenso por enquanto. Esse é um caso, e não podemos enganar o torcedor, que vai estourar ano que vem. É herança maldita do presidente afastado (José Carlos Peres). Próximo presidente terá sérios problemas com o caso do Cueva. Pode gerar punição na Fifa. Nosso competente departamento jurídico conseguiu a suspensão, mas é temporário. Santos vai ser sentenciado a pagar no ano que vem, é um valor elevado. E gestão que fez a negociação foi irresponsável. Hoje, o processo está suspenso na Fifa”, disse Rollo, em entrevista coletiva.

Cueva está no Malatyaspor, da Turquia, e o Peixe deve quase R$ 40 milhões ao Krasnodar, da Rússia, pela contratação em 2019. Os russos acionaram a Fifa para receber do Alvinegro imediatamente. Para evitar punições neste momento, o clube recorreu na Corte Arbitral do Esporte (CAS). E, por ora, não há previsão de sanções.

Enquanto isso, o Santos processa Christian Cueva por abandonar o clube neste ano. Ele forçou a sua ida para o Pachuca (MEX), onde não se firmou e já foi para a Turquia. O Pachuca foi vinculado à ação.

A Fifa liberou Cueva para jogar no México, mas permitiu ao Santos o pedido de indenização no valor da multa rescisória: 100 milhões de euros (R$ 670 mi). A ideia do Peixe é receber de Cueva/Pachuca e fazer acordo com o Krasnodar.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.