Bastidores

Santos apoia tempo maior de paralisação: “Responsabilidade é muito grande”

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 30 de abril de 2020 - 00:00

Presidente do Santos apoia tempo maior de paralisação

O Santos previu a retomada das atividades na próxima segunda-feira, mas apoia um tempo maior de paralisação em meio à manutenção da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Há a ideia de estender em pelo menos uma semana, até 11 de maio.

Elenco, comissão técnica e funcionários estão de férias coletivas. A ideia é aguardar os órgãos de saúde, CBF e Federação Paulista de Futebol para renegociar redução salarial e extensão da quarentena.

“Complicado falar em retorno neste momento difícil que passamos. São cerca de 500 óbitos por dia. Como cerca de 50% não obedecem o distanciamento social, números podem ultrapassar mil óbitos em 24 horas…”, disse o presidente José Carlos Peres, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva. 

“Vamos aguardar os órgãos de saúde dizerem quando poderemos voltar ao trabalho com segurança. Responsabilidade é muito grande”, completou Peres.

Após a publicação desta matéria, o Santos emitiu uma nota oficial confirmando a informação da reportagem.

“O Santos FC informa que atletas, membros de comissões técnicas, funcionários e colaboradores do Clube permanecerão em isolamento social após o término do período de férias, que se encerra nesta quinta-feira (30).

O Clube entende que é necessário aguardar o posicionamento e liberação das autoridades de saúde e do Governo do Estado de São Paulo para que, em seguida, clubes e federações possam pensar no retorno do futebol no país”.

A última partida do Santos foi a derrota por 2 a 1 para o São Paulo, em 14 de março, no Morumbi. O Peixe liderava o Grupo A do Campeonato Paulista, com 15 pontos, e o G da Libertadores, com seis após duas vitórias em dois jogos.