Bastidores

Roque Júnior comenta final da Libertadores entre Santos e Palmeiras: “Estão em pé de igualdade”

Gazeta
Gazeta Esportiva

27 de janeiro de 2021 - 19:40 - Atualizado em 27 de janeiro de 2021 - 20:00

Campeão em 99 e vice-campeão em 2000, Roque Júnior comentou sobre a final da Libertadores entre Santos e Palmeiras, disputada no próximo sábado. O ex-jogador participou do Gazeta Esportiva desta quarta-feira e falou sobre a pressão do lado alviverde e o coletivo das duas equipes.

“O ponto de partida é o coletivo, e as duas equipes precisam desse coletivo para chegar em uma final. O coletivo que faz com que individualmente o jogador se sobressaia, o contrário não funciona. Existe uma igualdade entre Santos e Palmeiras. Olhando para o que foi a semifinal, o Santos conseguiu ser melhor nos dois jogos, mas eu acho que está em pé de igualdade!”.

Campeão pela equipe alviverde, Roque Júnior acredita no equilíbrio das duas equipes, ainda assim, passou a receita do título para Santos e Palmeiras – concentração.

“O coletivo dos dois times estão muito bem. Existem individualidades como o Marinho e o Soteldo, e um jogador imprescindível que já foi vendido e não se fala muito que é o Pituca, um jogador fantástico. Do lado do Palmeiras, o Luiz Adriano vem fazendo a diferença e marcando gols. O Palmeiras tem uma dificuldade defensiva. Mas os dois então em pé de igualdade, quem conseguir estar concentrado e jogar para ganhar vai levar o título”, finalizou.

O ex-jogador também comentou sobre a pressão criada nos bastidores do Palmeiras para o título não só da Libertadores, mas também do Mundial.

“A pressão não pode atrapalhar! Claro que tem um contexto que precisa ser levado em consideração, o Palmeiras quer ganhar a segunda Libertadores e ter um Mundial. Mas não pode levar essa pressão para dentro do campo, para dentro dessa decisão, isso atrapalha. Claro que os jogadores querem ganhar, mas essa pressão atrapalha”, disse Roque Júnior.

“É claro que na decisão, é preciso saber lidar com todas essas pressões… mas os jogadores não têm que pensar nisso, tem que pensar no jogo e em ganhar”, comentou.

“Uma decisão não pode ter erro, são dois times muito iguais. Mas os jogadores não podem entrar com o pensamento de não poder errar, tem que entrar com o pensamento de ganhar – quem entra com o pensamento de não errar acaba perdendo”, finalizou Roque Júnior.

A finalíssima acontece no próximo sábado, às 17h (horário de Brasília), no Maracanã.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.