Esportes

Rollo diz que Peres pagaria R$ 500 mil para Robinho no Santos; presidente afastado nega

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de outubro de 2020 - 15:19 - Atualizado em 30 de outubro de 2020 - 22:15

Presidente em exercício do Santos, Orlando Rollo disse que José Carlos Peres, o presidente afastado, fez acerto verbal com Robinho: R$ 500 mil por mês em dois anos de contrato.

O acordo juntaria o salário e o parcelamento de dívida antiga com o atacante. Peres nega ter discutido sobre valores com Marisa Alija, advogada do atleta.

“Robinho viria quase de graça. Um dia antes, eu dei uma entrevista dizendo que não tínhamos condições. Robinho tinha acerto com o presidente afastado. Podem perguntar para a advogada do Robinho. Era R$ 500 mil por dois anos o acerto verbal com a gestão afastada, contando a dívida com o jogador. Havia esse acerto verbal entre eles, mas fizemos negociação diferenciada. Mostrei as contas do clube e atenderam o chamado. Robinho, por amor ao Santos, aceitou R$ 1500 por cinco meses. Nessas condições, seria sensacional dentro do âmbito desportivo”, disse Rollo, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

“É mentira! Nunca conversei com Robinho sobre valores. Nunca”, afirmou Peres, à Gazeta Esportiva.

Robinho viria por R$ 1500 em contrato até fevereiro, além de dois bônus de R$ 300 mil, mas o Santos recuou após a divulgação de transcrições de conversas entre o atleta e amigos sobre a noite em Milão, na Itália, no ano de 2013. Robinho foi condenado em primeira instância por violência sexual a nove anos de prisão e recorre em liberdade. O novo julgamento deve ocorrer em dezembro. O acordo com o Peixe está suspenso.

“Vou me limitar a falar pouco. Parece que é coletiva do Robinho, não do Santos. Torcida clamava pelo Robinho. Clamava! Até porque Robinho estava acusado desse crime gravíssimo, o estupro, crime que eu combato como policial e prendi ou investiguei diversos estupradores. O maníaco do ônibus, em 2016, eu prendi. Coloquei essa maníaco atrás das grades. Refuto a violência contra a mulher, principalmente o crime grave como estupro, mas a condenação do Robinho é primeira instância. Quem tem que julgar é a Justiça Italiana. Acredito na presunção da inocência até o trânsito em julgado. Torcida queria o Robinho. Quando detalhes vieram à tona, opinião pública se amoldou de maneira diferenciada”, afirmou o presidente em exercício.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.