Bastidores

Rodrygo barra comparações com Neymar e aposta em mais oportunidades na Seleção

Gazeta
Gazeta Esportiva

12 de outubro de 2020 - 06:00 - Atualizado em 12 de outubro de 2020 - 06:30

Comparações são inevitáveis no mundo do futebol. Desde que Rodrygo surgiu no Santos, o atleta teve o trabalho relacionado aos de Neymar e Robinho. Agora no Real Madrid e em sua primeira competição oficial pela Seleção, depois da estreia em amistosos no ano passado, o atleta busca fazer história com o próprio nome.

“Desde quando eu comecei no Santos já vinham com essas comparações. Novo Neymar, novo Robinho… E eu sempre tirei essas comparações de mim. Sempre falei que quero ser o Rodrygo e quero fazer a minha história. Neymar só tem um e só vai existir ele”.

Rodrygo ocupa uma faixa de campo de maior concorrência dentro da Seleção. Ainda muito novo e buscando um futebol cada vez mais regular, o atacante que fez parte da Seleção de base acredita contar com a ajuda do comandante merengue para continuar defendendo o Brasil.

“Acho que o Zidane facilita ao me colocar pela direita. Desde o Santos com o Sampaoli eu já comecei a jogar por ali também. Sempre joguei pela esquerda, mas coloquei na cabeça que queria jogar pelos dois lados e isso foi importante para mim… Isso me dá mais opções, poder jogar nos dois lados, tanto no Real Madrid quanto aqui na Seleção”.

“A gente sabe como é a concorrência no ataque da Seleção. É uma das melhores posições, onde tem mais gente, grandes jogadores. E eu sei o quanto é importante eu entrar bem no jogo, participar, fazer o que o professor Tite me pediu. Espero dar continuidade no trabalho, poder vir mais vezes e ser convocado de forma frequente para a Seleção”, concluiu Rodrygo.

O Brasil segue com as atividades no CT Joaquim Grava, em São Paulo, até segunda-feira. Depois viaja para Lima, onde enfrenta a seleção do Peru na terça, às 21h, pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas.