Corinthians

Roberto de Andrade relembra imbróglio na renovação com Guerrero: “Era uma loucura”

Gazeta
Gazeta Esportiva

10 de janeiro de 2021 - 06:00 - Atualizado em 11 de janeiro de 2021 - 00:00

Quando assumiu a presidência do Corinthians em 2015, Roberto de Andrade já teve de lidar com uma importante questão dentro do clube: a renovação do contrato de Paolo Guerrero. Porém, a diretoria não chegou a um acordo com o atacante e o peruano deixou a equipe em maio daquele ano.

No sábado, o ex-mandatário comentou sobre o processo de extensão do vínculo do jogador. Ele ressaltou a pressão que sofreu pela torcida para concretizar o acerto e destacou que os valores pedidos pelo centroavante eram “uma loucura”.

“Nós tínhamos a questão da renovação do Guerrero. Ele fez o gol do Mundial, um dos maiores goleadores da década do Corinthians, e era uma pressão vinda de torcedores que nós tínhamos que renovar a qualquer custo. E naquele momento, era uma loucura o dinheiro exigido por ele pelo prazo do contrato que ele queria, não dava. Não porque ele não merecesse, mas se eu fizesse um acordo com aqueles números, como ficaria o resto do elenco? Isso não é um esporte individual, você tem 30 pessoas aqui”, disse Roberto em entrevista à Corinthians TV.

“Aquilo que você faz para um, você tem que mostrar a mesma vontade para o outro, não adianta dar tudo apenas para um. Então eu refleti bastante, não foi fácil a decisão de deixar o Guerrero ir embora, mas eu optei por não fazer (a renovação). São coisas que às vezes passam despercebidas por muitos, mas é uma situação delicada de resolver. O que eu tinha a meu favor eram os valores”, completou.

Com a não renovação, Guerrero foi contratado pelo Flamengo e encerrou sua passagem de quatro anos pelo Timão. Pelo Alvinegro, o atacante disputou 126 partidas e marcou 52 gols, sendo o principal deles na final do Mundial de Clubes de 2012, contra o Chelsea.

Além disso, o peruano conquistou quatro títulos: um Mundial de Clubes (2012), um Campeonato Brasileiro (2015), uma Recopa Sul-Americana (2013) e um Campeonato Paulista (2013).