Esportes

Reunião com dirigentes, formulário falso e mais: veja o que alega a Anvisa sobre seleção argentina

Gazeta
Gazeta Esportiva

5 de setembro de 2021 - 19:58 - Atualizado em 5 de setembro de 2021 - 20:00

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou uma nota oficial no início da noite deste domingo informando todos os procedimentos realizados para que quatro jogadores da seleção argentina não descumprissem a Portaria Interministerial nº 655 de 2021, que estabelece a necessidade de quarentena para pessoas vindas do Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia.

De acordo com o órgão, agentes já sabiam da presença de quatro atletas vindo desses países que exigem restrição na delegação argentina desde que chegaram ao Brasil, na última sexta-feira. No mesmo dia, a Anvisa identificou as informações falsas presentes nos formulários preenchidos pelo quarteto, notificando o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde.

No dia seguinte, véspera da partida, a Anvisa realizou uma reunião com Ministério da Saúde, Secretária de Saúde do estado de São Paulo, representantes da Conmebol e da delegação argentina. Neste encontro, foi reforçada a necessidade de quarentena por parte dos quatro atletas com passagem pelo Reino Unido.

Mas, mesmo após a reunião, Cristiano Romero, Giovani Lo Celso, Emiliano Martínez e Buendía foram treinar com o restante da delegação no Parque São Jorge. No dia seguinte, como se não soubesse das restrições estabelecidas pela Anvisa, o grupo de jogadores foi para a Neo Química Arena, três deles, inclusive, começaram a partida como titulares.

Diante do descumprimento da lei, agentes da Anvisa, com suporte da Polícia Federal, foram obrigados a entrarem no gramado para forçar a paralisação do jogo.