Bastidores

Raridade! Palmeiras terá primeira semana livre desde março

Gazeta
Gazeta Esportiva

26 de julho de 2021 - 06:00 - Atualizado em 26 de julho de 2021 - 06:15

O Palmeiras terá sua primeira semana livre para trabalhar desde março deste ano. Tendo de lidar com um calendário bastante cruel, com jogo a cada três dias e, em algumas oportunidades, a cada 48 horas, o Verdão vem mantendo a competitividade na media do possível, mas, enfim, afora terá tempo suficiente para descansar seus atletas e trabalhar com mais calma alguns aspectos do jogo.

Passada a vitória sobre o Fluminense por 1 a 0, no Allianz Parque, o Palmeiras agora volta o foco para o clássico contra o São Paulo, no próximo sábado, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. A partida será uma prévia das quartas de final da Libertadores e, justamente por isso, tem um caráter especial.

“Com este tempo vamos fazer uma coisa: recuperar os jogadores. Tem alguns que já estão com problemas há algum tempo. Quem está no processo de recuperação, está na fase final. Vamos fazer de tudo para contar com todo o grupo de trabalho na semana que vem. Temos que ter os jogadores 100%, porque essas semanas cheias servem para isso”, disse o auxiliar técnico João Martins.

De fato, por causa da dura maratona de jogos, muitos atletas têm se lesionado, e isso não é exclusividade do Palmeiras. Quanto mais competições os clubes disputam, mais jogadores têm apresentado problemas físicos e desfalcado suas respectivas equipes. Justamente por isso, até que a eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil para o CRB não foi de todo mal.

“Com este calendário que existe aqui no Brasil, muitas vezes não dá para ter os mesmos jogadores, os jogadores em perfeito estado para poder jogar. Muitas vezes basta um trauma e três dias depois não temos tempo para recuperar os jogadores. Felizmente, contamos com todos, tenho visto que as substituições têm funcionado, temos treinado bem. Não estamos com todo o plantel, mas estamos prestes a contar com a maioria deles”, completou o braço direito de Abel Ferreira.