Bastidores

Ralf fala pela primeira vez após saída do Corinthians e admite chateação

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

21 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 21 de fevereiro de 2020 - 00:00

Ralf afirmou que foi tratado “como se fosse qualquer um”

Dispensado pelo Corinthians no início da temporada, o volante Ralf enfim falou sobre sua saída do Timão. Em entrevista ao Globoesporte.com, o jogador de 35 anos admitiu a chateação com o modo que foi informado de seu desligamento e afirmou que não estava preparado para encerrar sua segunda passagem pelo clube alvinegro neste momento.

“Desliguei e fiquei pensando. Chateado e pensando. Não me preparei, não me prepararam. Se me avisam antes, um mês antes…O treinador já estava há dois meses acertado com o clube e sabia com quem poderia contar. Podia me falar: ‘Você não está nos planos’. Beleza. Mas assim? ‘Amanhã você não vai se reapresentar’. Não me deram oportunidade de nada, ele não me conhece. Mas respeito o treinador, a opinião dele. Não quer contar com o Ralf? Beleza. Mas eu tenho uma história no clube, não é assim. A gente entende a filosofia de trabalho, mas não era para me tratar como se eu fosse qualquer um”, declarou.

Ralf também deixou as portas abertas para atuar em rival do Corinthians, dizendo acreditar na compreensão dos torcedores do Timão. “Todo mundo sabe da minha gratidão pelo clube. O Corinthians é minha vida, mas hoje eu sou um profissional, estou aberto ao que aparecer, independentemente de ser rival ou não e do rótulo que tenho no Corinthians, só penso na minha carreira. Tenho tido consultas, estou aberto a tudo o que vier e não teria problema algum”, explicou o meio-campista.

“Pela forma como saí, hoje acho que entenderiam. Se fosse de outra forma, não entenderiam. Mas da forma como foi… Não que fui chutado, mas da forma como eu saí. O pessoal veria a parcela que eu contribuí, veria que sou um eterno grato ao Corinthians, mas entenderia o meu profissionalismo”, acrescentou.

Multi-campeão pelo Corinthians, o jogador ainda apontou os títulos conquistados como suas melhores lembranças pelo clube. “Não sei se vai conquistar novamente, se vai ser daqui 10, 20 ou 50 anos. Mas você conquistar uma Libertadores e um Mundial, pela dimensão que tem, foi diferente. Fui feliz e ganhei títulos que o torcedor queria muito”, completou.

Com duas passagens pelo Timão (2010-2015 e 2018-2019), Ralf soma 437 partidas disputadas, dez gols marcados e oito títulos pela equipe alvinegra. Além da Libertadores e do Mundial, ele levantou os troféus do Campeonato Paulista (três vezes), Campeonato Brasileiro (duas vezes) e da Recopa Sul-Americana.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.