Bastidores

Quaresma, Tiago, Fucile… Jesualdo, do Santos, é elogiado por ex-comandados

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Quaresma, Tiago, Fucile… Jesualdo, do Santos, é elogiado por ex-comandados

29 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 29 de abril de 2020 - 00:00

Jesualdo recebe carinho de ex-comandados (Foto: Divulgação/SFC)

Jesualdo Ferreira vive semana difícil em meio à perda da irmã, Maria Manuela, mas o carinho de ex-comandados do técnico do Santos pode servir de alento.

Ricardo Quaresma e Jorge Fucile, ex-Porto, e Tiago Cardoso Mendes, atleta com passagem pelo Benfica, elogiaram Jesualdo em entrevistas entre segunda e terça-feira.

Quaresma

“Jesualdo foi quem mais me entendeu. Me massacrava muito durante a semana, mas nos jogos me dava a maior liberdade do mundo. Ele sabia que eu ia falhar três ou quatro jogadas, mas que na quinta ou sexta ia resolver o jogo, com uma assistência ou um gol. Só que antes dava muito na cabeça e massacrava. Depois do treino sentava-se comigo e falávamos muito sentados em cima de uma bola. Foi o treinador com quem senti mais liberdade e que soube aproveitar mais as minhas qualidades”, disse Quaresma, em entrevista ao jornal O Jogo. 

“No Porto, as minhas melhores fases foram com ele, pela liberdade e confiança que me dava. Vi o Jesualdo transformar jogadores normais em craques. Vi jogadores entrarem no Porto que tinham dificuldades na recepção de bola em certos movimentos e ele, após os treinos, trabalhava muito”, completou.

Fucile

“Eu já o conhecia porque ele tinha me convidado para ir para o Boavista, mas eu fui para o Porto e depois nos encontramos lá. Havia um carinho especial entre nós, me tratou sempre com um filho. Foi a primeira vez que saí do meu pais e ele me ajudou muito”, afirmou Fucile, em entrevista às redes sociais do Porto.

“No início eu não entendia ele e só dizia que sim, então às vezes o treino era de manhã e eu ia à tarde (risos). Mais para frente, naquelas semanas com treino para mim só sexta e sábado, os colegas reclamavam, diziam que eu tinha tratamento especial e era filho dele. Mas chegava o fim de semana e eu respondia em campo”, emendou.

Tiago

“A passagem foi incrível. A primeira cisa que me lembro foi de ir em janeiro para o Benfica e me reunir com o professor Jesualdo. Ele perguntou: ‘Como está?’. Eu disse: ‘Como o aço’. Isso me marcou. Foi numa quarta-feira e no fim de semana já joguei contra o Salgueiros. Deve ter ficado com boa impressão… Me fez crescer muito com jogador. Me pediu para ser um box to box no Benfica e consegui melhorar o meu rendimento”, falou Tiago, em uma transmissão ao vivo do Benfica.