Esportes

Problema crônico: Santos deve jogar partida mais importante do ano sem um meia

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de dezembro de 2020 - 08:00 - Atualizado em 30 de dezembro de 2020 - 20:00

O Santos não deve ter um meia de origem contra o Boca Juniors (ARG) no dia 6 de janeiro, em La Bombonera, pela ida da semifinal da Libertadores da América.

A dúvida de Cuca é escalar três meio-campistas (Alison, Sandry e Diego Pituca) ou improvisar o atacante Soteldo na armação. Ambas as possibilidades não incluem um meia de fato.

Essa posição é um problema crônico diagnosticado por Cuca desde a cirurgia no joelho de Carlos Sánchez. Jean Mota e Lucas Lourenço não se firmaram. Anderson Ceará foi emprestado ao CRB sem ser testado. Ivonei está no elenco, mas é considerado volante.

O técnico testou vários na função: o próprio Soteldo, Marinho, Kaio Jorge, Sandry, Diego Pituca, Jobson, Arthur Gomes e Tailson. Nenhum ganhou a vaga.

“Temos dificuldade no nosso elenco, no nosso time. Tentamos criar primeiro com Sandry e Pituca mais adiantados, depois com Soteldo e Kaio Jorge, depois com centroavante e Kaio Jorge atrás, depois Lucas Lourenço. É outra dificuldade a armação, a definição do nosso 10, na temporada”, disse Cuca, após o empate com o Ceará.

Dessa forma, o Santos não deve ter um meia de origem na partida mais importante de 2020.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.