Bastidores

Presidente em exercício da CBF planeja manter Tite na Seleção

Gazeta
Gazeta Esportiva

7 de junho de 2021 - 19:46 - Atualizado em 7 de junho de 2021 - 20:00

Com o afastamento de Rogério Caboclo da presidência da CBF por conta de uma denúncia de assédio moral e sexual contra uma funcionária da entidade, Antônio Carlos Nunes assumiu a responsabilidade de governar a instituição pelos próximos 30 dias.

Aos 82 anos, o coronel terá que gerir a Confederação Brasileira de Futebol em um momento conturbado. Isso porque, além das acusações contra o mandatário afastado, a decisão de trazer a Copa América para o Brasil, com apoio do Governo Federal, gerou muitas controvérsias.

“Está pegando fogo. Essa intriga do futebol é uma intriga gostosa. Pela segunda vez, estou assumindo, mas não pipocando como agora. E agora me aparece esse pepino. Não é brincadeira, não… É Copa América, é Seleção Brasileira, jogadores não querendo jogar. É pensar em como administrar bem, como contornar. Não dá pra meter política com futebol. É a minha opinião. Só se faz perder. Parece que estamos pisando em ovos. Este é o quadro”, disse o vice mais velho da CBF, em entrevista ao jornal O Liberal.

A agitada situação da CBF, aliás, também afetou os jogadores e a comissão técnica da Seleção Brasileira por conta da realização da Copa América no Brasil. Com isso, chegou a ser especulada a demissão do técnico Tite, mas coronel Nunes fez questão de afastar essa possibilidade.

“Vou trocar uma ideia com a minha turma na CBF (sobre a permanência). Gosto muito do trabalho dele. Ele é sério. Já sei como é. Não adianta que, por uma questão de vaidade, colocar fulano. Não funciona assim. Não estamos ganhando? Saímos vencedores da Copa América. E praticamente classificados na Copa do Mundo. Se ganhar amanhã (terça-feira), vamos aos 18 pontos. Aquele ditado: em time que está ganhando não se mexe”, comentou.

Por fim, coronel Nunes afirmou que vai conversar com Rogério Caboclo. “Ainda não conversei hoje (segunda) com ele. Mas quase todos os dias trocamos uma ideia. É um cara amigo. Assim que eu chegar na CBF vou passar um telefonema pra ele”, finalizou.

Caboclo, por sua vez, afirmou nesta segunda-feira que irá provar que é inocente e que voltará à presidência da CBF.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.