Esportes

Português Abel Ferreira liberta Palmeiras de obsessão e ganha primeiro título da carreira

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de janeiro de 2021 - 19:10 - Atualizado em 31 de janeiro de 2021 - 00:00

Ganhador da Copa Libertadores em 1999, o Palmeiras buscou de maneira obsessiva o bicampeonato, enfim alcançado na tarde deste sábado. Contra o Santos, em pleno Estádio do Maracanã, o português Abel Fernando Moreira Ferreira foi o técnico responsável pela façanha e conquistou seu primeiro título na elite.

Derrotado por Peñarol e Estudiantes nas finais das edições de 1961 e 1968 da Copa Libertadores, o Palmeiras foi campeão em 1999 e perdeu a decisão de 2000 diante do Boca Juniors. Durante as temporadas seguintes, a busca pelo bi passou a ser tratada como obsessão por torcedores, dirigentes e jogadores.

Desde o primeiro título continental, o Palmeiras chegou a disputar as semifinais da Copa Libertadores em 2001 e 2018, mas acabou derrotado pelo Boca Juniors nas duas ocasiões. Na primeira, com escandalosa colaboração do árbitro paraguaio Ubaldo Aquino.

O Palmeiras, longe das finais desde 2000, viu seus principais rivais triunfarem no torneio continental. São Paulo (2005), Santos (2011) e Corinthians (2012) conquistaram a Copa Libertadores, o que aumentou a pressão na busca pelo bicampeonato dentro do clube alviverde.

Coube a um português conduzir o Palmeiras ao título do torneio dedicado aos responsáveis por libertar as nações sul-americanas. Nascido em Penafiel, o ex-lateral direito Abel Fernando Moreira Ferreira, de 42 anos, ganhou o primeiro torneio de sua ainda curta carreira como técnico em grande estilo.

O português começou a atuar como treinador nas categorias de base do Sporting, estreou na elite pelo Braga e estava no grego Paok antes de ser contratado pelo Palmeiras. Na bem-sucedida gestão de Abel Ferreira, o time palestrino tem apenas 26 jogos (16 vitórias, cinco empates e cinco derrotas).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.