Esportes

Pia Sundhage fala sobre expectativas para Seleção Feminina no Torneio She Believes

Gazeta
Gazeta Esportiva

17 de fevereiro de 2021 - 23:01 - Atualizado em 17 de fevereiro de 2021 - 23:15

A Seleção Brasileira Feminina começa sua jornada no Torneio She Believes nesta quinta-feira. O Brasil disputará três jogos contra Argentina, Estados Unidos e Canadá, respectivamente, pelo campeonato durante o mês de fevereiro.

A técnica da seleção, Pia Sundhage, comentou sobre as expectativas que têm para a competição. A treinadora sueca destacou que está focada na estreia diante das argentinas, mas ressaltou a oportunidade de enfrentar três equipes “completamente diferentes” antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

“Agora, minha cabeça e coração estão voltados para a partida contra a Argentina, e nós estamos preparadas para esse jogo. Mas sobre jogar contra os Estados Unidos, o melhor time do mundo, e com o fato de eu ter alguma conexão com algumas das jogadoras, acredito que será muito animador”, declarou.

“Estou muito feliz que nós vamos ter a chance de jogar contra três times completamente diferentes. Isso vai nos dar muitas respostas, especialmente se você joga diante das melhores. Vamos aguardar, independente do placar e do que vai acontecer nos três jogos, nós vamos ter mais respostas”, acrescentou a comandante.

Pia também fez uma projeção para o duelo contra a Argentina, que acontece às 18 horas (de Brasília) no Orlando City Stadium. A técnica acredita que a tática e a ideia central das adversárias serão as mesmas, mas destacou que o papel de Debinha pode ser um diferencial positivo para o Brasil.

“A Argentina foi o meu primeiro jogo e eu me lembro dos cinco gols. Agora, será diferente. A maior diferença é a Debinha, porque ela vai ajudar o time ainda mais na posição que ela joga. Será muito bom esse novo encontro, teremos jogadoras novas, mas eu acredito que a ideia central e as táticas serão as mesmas”, disse.

Vamos ver como elas vão jogar contra nós também. Um jogo de cada vez. Contra a Argentina, vai ser difícil sentir como estão as jogadoras porque já faz mais de um ano que não atuam. Nós sabemos o estilo delas em seus times. Esperamos ter uma defesa agressiva, independente se vamos jogar com a Argentina ou com os Estados Unidos”, finalizou Pia.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.