Esportes

Perto do Santos, Holan deve chegar com comissão técnica pequena e sem multa

Gazeta
Gazeta Esportiva

18 de fevereiro de 2021 - 05:00 - Atualizado em 18 de fevereiro de 2021 - 21:00

O Santos está bem perto de fechar a contratação de Ariel Holan para substituir Cuca. E o argentino deve chegar com uma comissão técnica pequena e sem multa rescisória.

A tendência é que Holan trabalhe com o auxiliar Juan Esparis e o preparador físico Facundo Peralta. O treinador levou o preparador de goleiros Juan José Fariello à Universidad Católica (CHI), mas o responsável pela função no Peixe é Arzul, uma unanimidade. Dessa forma, apenas dois podem vir além do comandante.

A comissão técnica de Ariel Holan custará cerca de R$ 100 mil a mais que Cuca e sua equipe (R$ 470 mil). E o contrato não deve ter multa rescisória. O Alvinegro sofre com pagamentos de treinadores antigos.

Um dos detalhes finais para a chegada de Holan é o tempo de contrato: dois ou três anos. De qualquer forma, o Santos vê o profissional capaz de ficar até o fim da atual gestão, em dezembro de 2023. A multa para rescindir com a Católica é de 110 mil dólares (R$ 595 mil).

Ariel Holan estava no topo da lista do Peixe desde o início da procura por um técnico, há duas semanas. A pedida inicial foi alta. Na sequência, o clube conseguiu um “desconto” e passou a avançar na negociação.

O Santos analisou outras opções, como Hernán Crespo, Tiago Nunes e Beccacece. No caso de Crespo, o salário de mais de R$ 1 milhão inviabilizou qualquer papo e ele foi para o São Paulo. Com Nunes e Beccacece, a preocupação foi a mesma: o relacionamento com o elenco. Ambos têm histórico de problemas com atletas e colegas.

Com Holan, o Peixe fica satisfeito por aliar projeto de futebol e bom convívio. Sair de Cuca, adorado pelos jogadores, para Tiago Nunes ou Beccacece poderia significar uma ruptura no dia a dia do CT Rei Pelé.

Holan tem 60 anos e foi aprovado pelo departamento de futebol e pela análise de desempenho. O argentino começou no Defensa y Justicia em 2015 e passou por Independiente e Universidad Católica. Antes, foi auxiliar e desempenho e técnico de hóquei sobre a grama.

Votação

O Comitê de Gestão delibera sobre Ariel Holan há alguns dias. Mais do que maioria simples para a aprovação, o presidente Andres Rueda busca um consenso.

Quem é a favor ou contra a chegada de Holan expõe seus argumentos em grupo no Whatsapp. Nas últimas horas, o nome do técnico ganhou força. E a contratação parece ser apenas questão de tempo.

A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões. Para alguns, o comandante é o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, é momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento deve “vencer”.

O martelo deve ser batido entre quinta e sexta-feira. Com o aval do CG, a diretoria formalizará a proposta e o contrato para Ariel Holan. Poucas cláusulas não foram costuradas com o estafe do argentino. Os envolvidos nas tratativas não enxergam qualquer motivo para reviravolta.

Cuca

O Santos está perto de fechar com Holan, mas quer Cuca pelo menos até a partida contra o Fluminense no domingo, na Vila Belmiro, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cuca gostaria de fazer a transição para Holan e ir descansar com sua família no sítio em Curitiba, mas o Peixe quer seu atual técnico nessa decisão. Se derrotar o Flu, o Alvinegro garante a vaga na Pré-Libertadores e pode liberá-lo antes do Bahia em Salvador, quando o auxiliar Marcelo Fernandes teria chance de trabalhar.

O Santos, inclusive, quer a saída de Cuca pela porta da frente. A diretoria é grata ao treinador e prepara uma despedida digna para repercutir em suas redes sociais. Para tê-lo até o fim de semana, o Peixe pode deixar a confirmação de Ariel Holan só para segunda-feira.

Holan curioso

Enquanto deixa a questão financeira e contratual para seus representantes, Ariel Holan busca informações sobre o Santos. Ele falou com colegas de profissão e perguntou ao Peixe sobre questões específicas, como quantidade de campos e uso da tecnologia no departamento de análise de desempenho.

Holan tem vontade antiga de trabalhar no Brasil e vê o Santos como ótima porta de entrada por sua história, presença de jogadores de destaque como Marinho e Soteldo e a predisposição a revelar jovens da base.

Ariel Holan está disposto a trabalhar com a realidade do Santos, de não contratar e correr o risco de perder outros atletas. Os reforços podem chegar só no segundo semestre.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.