Esportes

Peres diz que Santos busca solução para pagar “rapidamente” a dívida de 2017 ao Hamburgo

Gazeta
Gazeta Esportiva

25 de setembro de 2020 - 14:56 - Atualizado em 25 de setembro de 2020 - 15:15

O presidente do Santos, José Carlos Peres, falou em “busca de solução para resolver rapidamente” a dívida com o Hamburgo, da Alemanha, pela contratação de Cleber Reis, realizada entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017.

O valor, acrescido de multa e juros, está em cerca de R$ 30 milhões. O débito causou o primeiro “transfer ban” na Fifa: a proibição de inscrever novos jogadores.

A Fifa também deu causa ao Huachipato, do Chile, por uma dívida de R$ 18 milhões por Soteldo. Neste caso, porém, o Peixe ainda está no prazo para pagar e evitar o bloqueio por três janelas de transferências. O Alvinegro ainda deve R$ 4,3 milhões ao Atlético Nacional, da Colômbia, por Felipe Aguilar.

“Estamos tentando uma solução para resolver rapidamente a questão do Hamburgo, único transfer ban que nos impede de contratar. Temos três casos: Hamburgo, Huachipato e Atlético Nacional. O mais pesado é o de Hamburgo. Teríamos resolvido se não fosse a pandemia. Só de multa são 750 mil euros. Querem juros de 15 ou 20%, um absurdo. Mas é aquilo: quem deve tem que pagar”, disse Peres.

“Há coisas que não podemos colocar publicamente, até porque estamos em negociação com o Hamburgo. Até para podermos ter um resultado. Se eu tivesse esse dinheiro no bolso, eu colocaria. Santos tem ativos para garantir. Marinho, Kaio Jorge… Elenco com seis ou sete ativos que valem dinheiro. Ao contrário de quando assumi em 2018, só Lucas Veríssimo”, completou.

Para pagar as dívidas, José Carlos Peres admite vender jogadores.

“Não existe mais protagonista de grana. Temos grupo no Whatsapp com presidentes e conversamos. Todos estão com problemas. Por isso nenhum jogador é inegociável. Ponto. Não é padrão Santos, é padrão Brasil. Teve time que soltou jogador importante… É dinheiro. Se chegar proposta interessante, vamos levar ao Comitê de Gestão. E comitê vai aprovar ou não. Faremos o melhor para o Santos”, afirmou.

“Soteldo é um ativo valiosíssimo, assim como Marinho, considerado o melhor do Brasil. Santos tem dois jogadores extraordinários que ninguém tem no Brasil. Marinho e Soteldo. Decidem jogos”, concluiu.