Bastidores

Pedidas salariais e multas criam obstáculo na busca do Corinthians por novo técnico

Gazeta
Gazeta Esportiva

10 de outubro de 2020 - 05:00 - Atualizado em 10 de outubro de 2020 - 14:00

O Corinthians segue no mercado em busca de um novo técnico para a equipe principal e a maior dificuldade tem sido com a parte financeira.

Apesar do clube não ter aberto negociação oficial com ninguém, algumas consultas foram feitas por meio de intermediários. E o susto foi grande.

Além de pedidas salariais acima do que o Corinthians pretende pagar, seja quem for, valores de multas e outros encargos contratuais estão sendo determinantes para o clube adotar muita cautela.

Quando contratou Tiago Nunes, o Corinthians passou a ter uma despesa com toda a comissão técnica equivalente ao que investia apenas em Fábio Carille, algo próximo de R$ 750 mil por mês.

O plano é não subir esse sarrafo novamente, principalmente porque o Corinthians ainda está pagando os dois últimos treinadores. Carille foi demitido com cerca de R$ 3,5 milhões a receber e Tiago Nunes com aproximadamente R$ 1,2 milhão.

O fato do presidente Andrés Sanchez ter pela frente menos de três meses de mandato é um complicador, pois faz com que os postulantes ao cargo técnico exijam mais segurança contratual.

A diretoria espera conseguir chegar a um acordo com um nome experiente. Andrés tem mantido sigilo total sobre o tema, mas [e sabido que o mandatário não pensa em um novo treinador promissor.

Internamente, os nomes de Dunga e Dorival Júnior são bastante comentados e aparecem como favoritos.