Bastidores

Paralisação esfria ansiedade de Rony por primeiro gol com a camisa do Palmeiras

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 28 de abril de 2020 - 00:00

Todo jogador quer marcar gols, porém para Rony a expectativa é maior ainda. O atacante foi o grande reforço do Palmeiras para a temporada, chegando ao clube para ser titular absoluto, aumentar o poder de fogo do Verdão e dividir a responsabilidade das jogadas individuais no Verdão com Dudu.

Contratado pelo Palmeiras por cerca de 6 milhões de euros (cerca de R$ 28 milhões), equivalente a 50% dos seus direitos econômicos, Rony já atuou pelo Alviverde em cinco partidas, sendo cinco como titular. Apesar de ter demonstrado qualidade, o atacante ainda não balançou as redes.

Rony fez sua estreia pelo Palmeiras no clássico contra o Santos

Foi perceptível durante esses jogos que o jogador estava aflito por não marcar e buscava a todo momento deixar a sua marca. Após a vitória do Palmeiras sobre o Guaraní, pela Libertadores, na qual colaborou com uma assistência para um dos três gols de Luiz Adriano, Rony falou sobre a autocobrança por marcar seu primeiro tento com a camisa do Verdão.

“Procuro sempre manter o foco. O erro faz parte, não vou acertar no jogo todo. É procurar ter a cabeça boa, porque as coisas acontecem dentro do jogo. Tem jogada que você faz e as coisas não saem como você quer, mas tem jogada em que as coisas conseguem fluir. No futebol, as coisas acontecem naturalmente e, graças a Deus, deram certo. Fui feliz com uma assistência”, afirmou o jogador.

Naquele mesmo dia, Vanderlei Luxemburgo comentou sobre a ansiedade de Rony. O treinador do Palmeiras tem certeza de que o atacante passará a balançar as redes com maior naturalidade depois que o primeiro gol sair.

“Ele está ansioso para fazer um gol. A hora que ele fizer, vai relaxar. Se pegarmos a atuação dele, foi perfeita, tanto pela direita ou esquerda, colocou velocidade nos lados dos campos, preocupou os adversários, dividiu. Já falei para ele relaxar que daqui a pouco vamos ganhar com um gol dele”, disse Luxemburgo.

Nas últimas partidas antes da paralisação por conta do coronavírus, o treinador passou a escalar o Palmeiras sem a presença de um meia armador, com Dudu atuando mais centralizado. Nesse esquema ofensivo, Rony ficou mais responsável por cobrir a a faixa esquerda do campo, enquanto Willian era mais observado pela direita. Apesar de haver esse desenho, Luxemburgo orientou seus jogadores de frente a se movimentarem e trocarem de posição com frequência, confundindo a defesa adversária.