Esportes

Pará supera desconfiança e é “exceção” no Santos que enfrenta o Boca

Gazeta
Gazeta Esportiva

13 de janeiro de 2021 - 07:00 - Atualizado em 13 de janeiro de 2021 - 21:15

Pará voltou para o Santos sem alarde em agosto de 2019. Um ano e meio depois, é titular absoluto e um dos capitães do Peixe.

Aos 34 anos, o lateral-direito superou a desconfiança e é uma “exceção” no Alvinegro: é campeão, inclusive da Libertadores da América, e um dos veteranos.

O Santos enfrentará o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira com poucos campeões e recheado de jovens. Pará, então, é fundamental para o técnico Cuca na busca pela vaga na final da Libertadores.

Pará é o mais velho e o único titular presente no título da Libertadores da América em 2011 – o goleiro Vladimir é reserva e ficará no banco de reservas.

João Paulo (25), Lucas Veríssimo (25), Luan Peres (26), Felipe Jonatan (22), Alison (27), Diego Pituca (27), Sandry (18) ou Lucas Braga (24), Marinho (30), Soteldo (23) e Kaio Jorge (18) têm Pará como referência e costumam ouvir suas experiências no próprio Santos, Flamengo e Grêmio.

“É um momento único na minha carreira. Já tive a oportunidade de conquistar esse título importante, está na história do clube, mas quero ganhar mais e mais. Não é à toa que voltei para minha casa e, junto com meus companheiros, alguns mais jovens, espero passar um pouco da minha experiência para que sejamos ainda mais fortes. Queremos fazer um grande jogo quarta-feira e passar para a final da competição”, diz Pará.

O capitão é Alison, até pelo histórico no Santos e pela superação de lesões, mas Pará é um dos líderes e hoje com status bem diferente em relação ao início da década passada ou quando retornou em 2019.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.