Campeonato Copa América

Números explicam consistência defensiva da Seleção Brasileira na Copa América: confira

Gazeta
Gazeta Esportiva

6 de julho de 2021 - 10:22 - Atualizado em 6 de julho de 2021 - 10:30

Em seis jogos disputados na Copa América, a Seleção Brasileira sofreu apenas dois gols, tendo a melhor defesa da competição ao lado de Argentina e Uruguai. Uma das razões que ajuda a explicar essa consistência defensiva é o número de desarmes do Brasil de Tite no campo de ataque do adversário.

Segundo o Footstats, cerca de 34% dos desarmes feitos pelo Brasil são realizados em seu campo de ataque, ou seja, próximo do gol adversário. Isso evita que o oponente se aproxime da meta brasileira, dando tranquilidade ao sistema defensivo.

Na vitória contra o Peru por 1 a 0, por exemplo, sete dos 11 desarmes do Brasil no primeiro tempo aconteceram no campo de ataque. A primeira etapa ficou marcada justamente por um domínio da Seleção, em um período na qual Ederson praticamente não trabalhou.

No segundo tempo, com a Seleção abaixando seu bloco de defesa e desarmando menos (nove vezes no total), o Peru cresceu no jogo e chegou a ficar perto de empatar o confronto.

Outros dados ajudam a mostrar a eficiência defensiva do Brasil na Copa América. Ao lado da Argentina, a Seleção é a que menos sofre finalizações por jogo em média, com apenas seis. Em relação ao número total de desarmes, a equipe de Tite lidera, com 107.

O Brasil está classificado para a final da competição e espera o vencedor de Argentina e Colômbia, que se enfrentam nesta terça-feira. No Maracanã, Tite espera que sua defesa siga sendo um trunfo para que o bicampeonato da Copa América se concretize.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.