Esportes

No Catar, confronto de desconhecidos abre o Mundial de Clubes da Fifa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

11 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 11 de dezembro de 2019 - 00:00

As principais atrações, naturalmente, são Flamengo e Liverpool. Sem os dois badalados clubes, que só entrarão em campo na próxima semana, o Mundial de Clubes da Fifa começa nesta quarta-feira, no Catar, com uma partida que não deixa de ter alguns atrativos. Em ação estarão o local Al-Sadd, time que tem vários jogadores da seleção catari e é treinado pelo espanhol Xavi, contra o desconhecido Hienghène, equipe da Nova Caledônia que representa a Oceania.

Al-Saad e Hienghène se enfrentam às 14h30 (de Brasília), no Jassim Bin Hamad Stadium, em Doha, e quem passar jogará neste sábado contra o Monterrey, do México. Em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação e, se necessário, disputa de pênaltis.

O Flamengo só estreia no próximo dia 17 contra o vencedor de Al-Hilal, da Arábia Saudita, e Esperánce, da Tunísia. E, depois de conquistar o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores, o objetivo rubro-negro é fechar o ano com “chave de ouro”, ganhando o Mundial pela segunda vez na história.

Para isso, depois das festas pelos títulos e das premiações individuais dos jogadores, os flamenguistas optaram por um curto tempo de descanso antes de retomarem os treinos para o Mundial. Há preocupação com o desgaste de alguns jogadores, como Bruno Henrique, que tem reclamado de dores na coxa direita. “Mas vou estar 100% no Mundial”, disse o atacante.

Na estreia, o Flamengo poderá enfrentar um velho conhecido do técnico Jorge Jesus. Campeão asiático, o Al-Hilal foi montado pelo português Jesus, que deixou a equipe para treinar o clube rubro-negro. O time árabe tem jogadores experientes como o francês Gomis (ex-Lyon) e o ataque italiano Giovinco (ex-Juventus). Além de um volante que o clube carioca conhece bem: o colombiano Cuellar.

O Esperánce é o representante africano. O elenco tunisiano tem poucos estrangeiros e é considerado um dos times mais fracos da disputa.

Forte é o Liverpool, que depois de cogitar não levar a força máxima ao Mundial, acabou optando por enviar todas as suas principais estrelas ao Catar. Mas o desgaste dos jogadores preocupa o técnico alemão Jurgen Klopp, que tem optado por poupar alguns deles nas últimas partidas. Nesse mês, o time vai disputar um total de nove partidas em um período de 25 dias. Um desfalque certo é o brasileiro Fabinho, que contundido só voltará a jogar no ano que vem.

O Liverpool estreará no próximo dia 18, contra Monterrey ou o vencedor de Al-Sadd e Hienghène, e, se prevalecer o favoritismo de ambos os lados, fará a final contra o Flamengo, no dia 21.