Bastidores

Não é só a preocupação com as contas que deve retardar reforços no Corinthians; entenda

Gazeta
Gazeta Esportiva

8 de janeiro de 2021 - 07:00 - Atualizado em 9 de janeiro de 2021 - 00:00

A expectativa por reforços é sempre grande entre torcedores no início de cada ano. Mas, em 2021 a situação é diferente, e nem todo mundo percebeu.

No Corinthians, por exemplo, desde o fim do ano passado as manifestações nas redes sociais em busca de novidades e informações sobre eventuais contratações ganharam força.

Nomes como Dentinho, Vina, Pablo, Gabriel Torres e Alex Teixeira passaram a ser citados com frequência.

Mas, a pandemia do coronavírus alterou significativamente a rotina do futebol também fora de campo.

Diferente de anos anteriores, a janela para transferências de atletas não acontecerá entre o fim de janeiro e o fim de abril.

Desta vez, os clubes brasileiros terão de 1º de março a 23 de maio para concluir negociações de jogadores que estão ligados a instituições de fora do país.

Também houve mudança na janela do meio do ano. Antes, ela ocorria no mês de julho. Desta vez, será do dia 1º ao dia 30 de agosto.

Ou seja, são 12 semanas no primeiro semestre e quatro semanas no segundo semestre de mercado aberto.

A regra não vale para transferências de jogadores que envolvam apenas clubes brasileiros, ou no caso de atletas que estão livres, sem contrato com qualquer equipe.

Ainda assim, para esta reta final de Campeonato Brasileiro os times não poderão mais se reforçar, pois o limite para novas inscrições expirou em 6 de novembro do ano passado.

A temporada 2020 vai terminar no próximo 24 de fevereiro, e os Estaduais vão começar quatro dias depois, em todo o país. Desta maneira, não haverá tempo para uma pré-temporada, tampouco para grandes surpresas até que a janela abra novamente.

“É um ano muito diferente. Muita coisa a gente vai aprender no dia-a-dia. É um momento que o clube não viveu ainda, temos de passar por isso. A gente vem formando o time, um grupo, com a chegada do Mancini começamos a ter um futebol mais vistoso, produtivo, com mais vitórias, com chance de Libertadores. Vou trocar o pneu com o carro andando, faz parte, temos tempo para fazer um planejamento e começar, mesmo sem uma pré-temporada, a ver como vai ser o grupo para a próxima temporada”, comentou o presidente corintiano Duílio Monteiro Alves, na última segunda-feira.

Roberto de Andrade, diretor de futebol do Timão, também falou sobre o que a torcida pode esperar neste sentido.

“Quando o Duílio fala fala ‘pé no chão’ não significa que não vai trazer ninguém. Significa que não vai trazer jogador para ganhar R$ 1,5 milhão. Isso não temos condição. Mas, tem jogador de qualidade tão boa quanto esse jogador de R$ 1,5 milhão, e que custa metade disso. Esses virão. Sempre com responsabilidade. É uma bandeira do Duílio, termos responsabilidade com o caixa do clube”.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.