Esportes

Na beira do abismo, Paraná Clube tenta juntar forças em meio ao conformismo

Derrota contra o Cuiabá fez o Tricolor se afundar na zona de rebaixamento e ver a queda para a Série C, praticamente consumada

Guilherme
Guilherme Almeida
Na beira do abismo, Paraná Clube tenta juntar forças em meio ao conformismo
Tricolor não consegue reagir na Série B (Foto: Rui Santos/Paraná Clube)

20 de janeiro de 2021 - 14:06 - Atualizado em 20 de janeiro de 2021 - 14:26

O Paraná Clube está, literalmente, na beira do abismo. A derrota na última terça-feira (19), contra o Cuiabá, em Plena Vila Capanema, por 2 a 0, deixou o Tricolor virtualmente rebaixado à Série C.

Após o jogo, o que se viu foi um misto de desânimo e conformismo entre os jogadores do Tricolor.

O meia Renan Bressan foi muito sincero em suas palavras. Sua entrevista pós jogo foi como um choque de realidade na torcida paranista, que não vê o time demonstrar nenhuma força e está muito próximo de um vexame histórico.

“Não vou contar mentira pra torcida e nem pra ninguém. Nós sabemos que a situação é praticamente impossível, mas ainda tem chance. Enquanto tiver chance, a gente vai lutar. Mas, não vou iludir ninguém. Todos sabemos onde estamos. É complicado, dificilmente vamos escapar”.

O desânimo e a decepção de Renan Bressan fazem coro ao restante do time. Apático, o Paraná Clube foi dominado pelo Cuiabá, que fez dois, mas poderia ter feito mais, se tivesse sido mais efetivo.

Renan Bressan continuou seu desabafo, e citou que falta cobrança, por parte do elenco, neste momento decisivo do Tricolor.

“Estamos jogando na Série B, no Paraná Clube tem coisas que eu não aceito e não temos que aceitar. E é por isso que estamos na posição que estamos. É só cobrança mesmo. Quem não aguenta tem que fazer outra coisa e não jogar futebol, não jogar a Série B. Quando eu errar, quero que me cobrem também. Só assim pra gente conseguir sair dessa situação”.

Já o treinador Márcio Coelho, evitou jogar a toalha. Na coletiva pós jogo, o comandante paranista garantiu que, enquanto houver chance, o time irá lutar até o fim.

“Não tem ainda toalha jogada ou desistir. Enquanto tiver alguma possibilidade, a gente vai lutar até o final. Derrotas dentro de casa, da maneira como está sendo, a sequência de frustrações nos jogos, é claro que deixa todo mundo desanimado. Mas temos que fazer nossa parte e buscar as duas vitórias contra Oeste e Cruzeiro”.

Com 92,9% de chances de queda, segundo o site Chance de Gol, o Paraná Clube está virtualmente rebaixado para à Série C. Resta ao Tricolor, secar Náutico e Vitória, nesta quarta-feira (20), para que ambos tropecem em Oeste e Guarani, respectivamente.

Caso os dois times vençam, o Tricolor teria que tirar seis pontos de desvantagem com somente duas rodadas em disputa, e só poderia terminar na frente no número de vitórias, desde que, nenhum dos adversários pontue. Uma situação extremamente delicada.

Tentando juntar os cacos e se reerguer para terminar de forma digna a competição, o Paraná Clube agora terá uma semana para se preparar para o jogo contra o Oeste, na próxima terça-feira (26), às 19h15, na Arena Barueri, pela 37ª rodada.

O Tricolor fecha a Série B, no sábado (30), às 16h30, contra o Cruzeiro, na Vila Capanema.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.