Esportes

Mesmo sem protesto, Fluminense deixa Aeroporto do Galeão por saída alternativa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

23 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 23 de setembro de 2019 - 00:00

O Fluminense esperou por um protesto da torcida, nesta segunda-feira, no desembarque da equipe vinda de Goiânia, onde o time foi derrotado no domingo, pelo Goiás, por 3 a 0, em jogo válido pela 2.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Deixou o Aeroporto do Galeão por uma saída alternativa, mas não foi registrada nenhuma manifestação.

Cerca de 40 seguranças tiveram pouco trabalho para cuidar da proteção ao elenco. O ônibus que foi buscar os jogadores e a comissão técnica foi até a pista e de lá seguiu direto para o CT do clube na Barra da Tijuca.

Também nesta segunda-feira, a diretoria tricolor acertou a venda do volante Rafael Resende, de 19 anos, para o Sharjah FC, dos Emirados Árabes. Vendido por US$ 500 mil (cerca de 2 milhões), o jogador tem viagem marcada para Dubai nesta terça-feira. O Fluminense possui 30% dos direitos econômicos do atleta.

O elenco comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira volta a treinar nesta terça-feira. O próximo compromisso será contra o Santos, quinta-feira, às 20 horas, no Maracanã, pela 21.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe está na 17.ª colocação, com 18 pontos, um a menos do que o CSA, o primeiro clube fora da zona de rebaixamento.

Um dos motivos do rendimento ruim da equipe é o jejum do colombiano Yony González, com 923 minutos sem fazer um gol. O atacante balançou as redes pela última vez há nove jogos, contra o Internacional, na 13.ª rodada do Brasileiro. Com 15 gols, ele é o artilheiro tricolor no ano junto de Luciano, negociado com o Grêmio.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.