Esportes

Membro da delegação uruguaia é acusado de assédio sexual

O ato teria ocorrido entre a noite deste domingo e a madrugada desta segunda, com registro imediato de um boletim de ocorrência pela vítima

Gazeta
Gazeta Esportiva
Membro da delegação uruguaia é acusado de assédio sexual
Hotel em que a Delegação Uruguaia está hospedada em Cuiabá (Foto: Reprodução/Google Maps)

21 de junho de 2021 - 13:12 - Atualizado em 21 de junho de 2021 - 14:20

Um dos seguranças que integra a delegação uruguaia na disputa Copa América foi acusado, na madrugada desta segunda-feira, de assédio sexual por uma funcionária de um hotel onde o Uruguai está hospedado, em Cuiabá.

O ato teria ocorrido entre a noite deste domingo e a madrugada desta segunda, com registro imediato de um boletim de ocorrência pela vítima. A Seleção Uruguaia entra em campo nesta segunda, às 18h, na Arena Pantanal, para encarar o Chile pela 3ª rodada do grupo A.

Em nota oficial, a Associação de Futebol Uruguaia comunicou o desligamento do segurança por conta da denúncia e que será aberto um processo de investigação no momento que a delegação retornar a Montevidéu, capital uruguaia.

“A Associação Uruguaia de Futebol informa que no dia de hoje desligou o funcionário e integrante da delegação na Copa América no Brasil, como consequência de ter sido denunciado por um suposto comportamento repudiável e inaceitável. Quando a delegação retornar para Montevidéu, será aberto um processo formal de investigação administrativa”, escreveu a AUF.

Organizadora da Copa América, a Conmebol também se manifestou sobre o caso e se colocou de forma contrária às atitudes do segurança. Confira o posicionamento da entidade sul-americana na íntegra:

Diante de uma denúncia de assédio sexual contra um integrante de uma delegação que participa da Conmebol Copa América, a Confederação Sul-Americana de Futebol afirma o seguinte:

A Conmebol está atenta às resoluções emanadas das autoridades judiciais ou administrativas que tratem da reclamação e acatará pontualmente o que estas estabelecerem.

A Conmebol rejeita e condena veementemente qualquer forma de assédio sexual.

A Conmebol continuará trabalhando por um futebol livre de discriminação, violência e assédio e a favor do esporte como instrumento de desenvolvimento e crescimento das pessoas e das sociedades

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.